Putin queria conquistar a Ucrânia dividindo o Ocidente — mas o apoio à NATO nunca foi tão forte

Putin queria conquistar a Ucrânia dividindo o Ocidente — mas o apoio à NATO nunca foi tão forte

Dez meses após o início da guerra, existe agora um maior apoio militar da NATO à Ucrânia do que alguma vez existiu.  Quando Vladimir Putin enviou a sua máquina de guerra para a Ucrânia em fevereiro último, uma das razões apontadas para a invasão foi para assegurar o estatuto neutro da Ucrânia e impedir o seu governo de colar o país ao Ocidente. Embora haja mais por detrás desta guerra, o líder russo há muito que expressa preocupações sobre a possibilidade de a Ucrânia procurar uma cooperação militar mais estreita com a NATO, tendo em vista a sua eventual adesão