Marcelo diz que foi avisado de intervenção do SIS três dias depois

Marcelo diz que foi avisado de intervenção do SIS três dias depois

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, revela que foi informado da intervenção do SIS no dia 29 de abril, três dias após os incidentes no Ministério das Infraestruturas.

Marcelo Rebelo de Sousa foi questionado esta quinta-feira pelos jornalistas, na Feira do Livro de Lisboa, sobre quando é que teve conhecimento da atuação do SIS no caso da recuperação do computador levado do Ministério das Infraestruturas, a 26 de abril, pelo ex-adjunto Frederico Pinheiro.

O chefe de Estado revelou que foi informado no dia 29 de abril, três dias após os incidentes no Ministério, mas não esclareceu por quem.

Questionado se foi o primeiro-ministro quem o informou da intervenção do SIS, respondeu: “O primeiro contacto que tive sobre esta matéria com alguém foi no dia 29 [de abril], no regresso da Ovibeja”.

“Fui à Ovibeja, estive lá uma parcela importante do dia, e foi depois que realmente tive contacto relativamente a essa matéria, mas vejo que o senhor primeiro-ministro esclareceu ontem à noite que no contacto inicial – presumo eu – com o Presidente da República não tinha referido aquela matéria que se tinha entendido que tinha referido”, sublinhou.

No debate parlamentar de quarta-feira, o primeiro-ministro, António Costa, clarificou, corrigindo uma afirmação prévia: “Nunca informei o Presidente da República sobre a intervenção do SIS“.

Para António Costa, a atuação do Serviço de Informações de Segurança (SIS) na recuperação do portátil do, antigo adjunto de João Galamba foi justificada, porque o computador tinha “documentos classificados” e “o SIS deve agir preventivamente”, disse.

Nas declarações desta quinta-feira aos jornalistas, na Feira do Livro de Lisboa, o Presidente da República revelou que vai convocar para o “final de julho” uma reunião do Conselho de Estado sobre a “situação portuguesa”.