Contratos de Montenegro com a CM de Espinho não estão a ser investigados

Contratos de Montenegro com a CM de Espinho não estão a ser investigados

A Polícia Judiciária deteve cinco pessoas no âmbito da Operação Vórtex, por alegado favorecimento no licenciamento de obras. Os contratos de assessoria jurídica assinados entre o escritório de advogados de Luís Montenegro e a Câmara Municipal de Espinho, quando esta era liderada por Joaquim Pinto Moreira, não estão a ser investigados pelas autoridades. Apesar da existência dos contratos já ser de conhecimento público, pelo menos desde 2014, a notícia ressurgiu ontem, depois do antigo autarca e atual vice-presidente ter sido visado na Operação Vórtex. De acordo com o Expresso, que cita dados do Portal Base, em causa estão 15 adjudicações