• RTP acompanhou treino de militares portugueses que vão para a República Centro Africana

    26 Setembro 2020 /> Portugal assumiu o comando da missão de treino da União Europeia na República Centro Africana. Durante um ano vão ajudar a reformar a defesa e as Forças Armadas do país. Esta missão de 12 países integra 250 militares, 55 são portugueses. Uma equipa da RTP acompanhou o treino que antecede a ida em breve para a República Centro Africana. Pela primeira vez, Portugal integra nesta força um assessor de género para as questões da igualdade. RTP »

  • "Cabo Delgado pode por em risco a independência do país"

    26 Setembro 2020 >O chefe de Estado, Filipe Nyusi, afirmou que o conflito armado em Cabo Delgado pode por em risco a independência do país.As declarações foram feitas na semana em que a chefe da diplomacia moçambicana, Verónica Macamo, pediu formalmente à União Europeia apoio logístico e treino especializado para combater a insurgência terrorista na província de Cabo Delgado. >O Alto Representante da UE para a Política Externa, Josep Borell, confirmou a recepção do documento e disse que avaliar os possíveis meios de assistência a Moçambique.>A província de Cabo Delgado é há três anos alvo de ataques por grupos armados, alguns reivindicados pelo grupo 'jihadista' Estado Islâmico, mas cuja origem permanece em debate, provocando uma crise humana com mais de mil mortes e 250.000 deslocados internos.>Em Cabo Verde, o Ministério Público decidiu arquivar por prescrição, as acusações contra o antigo ministro do Ambiente, Habitação e Ordenamento do Território, Antero Veiga, indiciado no processo em torno do Fundo do Ambiente e o alegado desfalque de mais 4 milhões de euros.>O empresário angolano Carlos São Vicente está em prisão preventiva. Em causa está uma investigação que envolve uma conta bancária do empresário congelada na Suíça, por suspeitas de lavagem de dinheiro com cerca de 900 milhões de dólares.>Em São Tomé e Príncipe a direcção do Hospital Aires de Menezes vai reforçar o sistema de segurança, a decisão acontece depois da morte um enfermeiro agredido por um paciente.>O Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, pediu esta quinta-feira uma diplomacia "agressiva e proactiva" com resultados no desenvolvimento económico e afirmou que todos os guineenses são embaixadores do país. As declarações de foram feitas no discurso da cerimónia de celebração dos 47 anos da independência da Guiné-Bissau.>  RFI »

  • Moçambique aguarda paio do UE e repele novo ataque em Cabo Delgado

    25 Setembro 2020 >Enquanto Moçambique pede apoio à União Europeia para combater o terrorismo em Cabo Delgado, as forças de defesa e segurança repeliram nas últimas horas um ataque terrorista em Bilibiza no distrito de Quissanga, nesta província nortenha, revelou o chefe de estado Filipe Nyusi. >A chefe da diplomacia moçambicana confirma e está confiante quanto ao pedido feito à União Europeia para o apoio logístico e treino militar ao exército para o combate ao terrorismo em cabo Delgado. Posição assumida por Verónica Macamo, num dia em que o presidente moçambicano, chamou atenção para o risco da violência armada pôr em causa a independência do país.>As forças de defesa e segurança repeliram nas últimas horas um ataque terrorista em Bilibiza no distrito de Quissanga na província de Cabo Delgado no norte de Moçambique, revelou o chefe de Estado Filipe Nyusi.>O Presidente da República e Comandante-em-Chefe das Forças de Defesa e Segurança, disse que o terrorismo, o crime transnacional, a pirataria e o crime cibernético são alguns desafios com que o país se debate e, para os ultrapassar, reitera a sua confiança nas forças de segurança do país.>Filipe Nyusi apelou ao envolvimento da sociedade e que esta compreenda que “os temas de defesa não são exclusividade dos militares”.>O Comandante-em-Chefe das Forças de Defesa e Segurança orientou, hoje, a cerimónia central alusiva ao 56º aniversário do desencadeamento da luta armada de libertação nacional e Dia das Forças Armadas de Defesa de Moçambique - FADM.>“os ataques terroristas em alguns distritos da província de Cabo Delgado, assim como os ataques da zona centro do país, protagonizados pela auto intitulada Junta Militar da Renamo, constituem clara afronta a independência nacional, à integridade territorial e à paz“.>Entretanto, a ministra dos negócios estrangeiros e cooperação Verónica Macamo diz estar optimista quanto ao pedido de apoio logístico militar efectuado pelo governo à União Europeia.>“Penso que a comunidade internacional está toda ela sensível. é que o terrorismo não é coisa de um país e nós pedimos na área militar treinamento e formação para combater o terrorismo com mais eficiência.”>Por outro lado, o pedido de apoio à União Europeia, que não foi discutido no parlamento, está a levantar debates no seio da sociedade moçambicana sobre a legitimidade do governo, sózinho, efectuar tais diligências.>  RFI »

  • Moçambique enfrenta “uma versão de guerra” diferente, diz presidente

    25 Setembro 2020 O chefe de Estado moçambicano reiterou que o país está a ser alvo de ataques terroristas em Cabo Delgado. Renascença »

  • União Europeia apoia Moçambique no combate ao terrorismo

    23 Setembro 2020 >O governo moçambicano está aberto a receber apoio logístico da União Europeia, para combater a acção terrorista na província de Cabo Delgado e apoiar os mais de 350.000 deslocados internos, a instituição já garantiu 25 milhões de euros de ajuda, só para esta região nortenha, que se inscrevem num pacote de 50 milhões para apoiar refugiados no resto do país. >Sem rodeios o primeiro-ministro Carlos Agostinho do Rosário afirma que todo o apoio é bem-vindo, para ajudar a combater o terrorismo, um mal que não é só de Moçambique.  >"...toda aquela resolução, todas aquelas decisões que possam dar mais valias a isso são muito bem-vindas e, o terrorismo é um mal que deve ser combatido por todos e se os europeus tiveram essa decisão, pois bem, é de felicitar, vamos continuar e todos nós juntamos os esforços, para que o terrorismo não fique nem em Cabo Delgado".>O primeiro-ministro de Moçambique reagiu assim ao posicionamento dos euro deputados, que defendem uma intervenção dos estados no apoio a este pais lusófono, alvo de ataques terroristas que já causaram pouco mais de 1.500 mortos e acima de 350 mil deslocados, na província de Cabo Delgado, extremo norte do país desde finais de 2017.. >de recordar que a União Europeia garantiu 25 milhões de euros para a assistência humanitária às mais de 350.000 pessoas deslocadas pela acção do terrorismo, que afecta a região norte da província de Cabo Delgado.>Este valor faz parte de um total de 50 milhões de euros que os países da Europa comunitária destinarão a Moçambique, no quadro do apoio ao desenvolvimento da região norte do país.>O Programa Alimentar Mundial - PAM - considera muito grave a situação dos deslocados internos em Cabo Delgado e está a delinear uma mega_operação para apoiá-los nas ilhas e no interior das províncias, onde se refugiaram, necessitando para tal de pelo menos 4,7 milhões de dólares por mês.>Para já o PAM está a trabalhar com o governo de Moçambique e outras ogns, para conseguir alimentos e outros bens de pripmeira necessidade para os deslocados, utilizando para tal barcos e camiões e em breve o PAM espera que aviões e helicópteros estejam também disponíveis. RFI »

Títulos da Imprensa nas últimas 24h: