• (re)ler para nunca esquecer *

    19 Outubro 2019 ''Quem tem sorte, agradece. Agradece quando olha para o céu no final do dia e para os pés descalços no chão da manhã. Quem tem sorte sente as gotas na cara, num banho quente merecido. Quem tem sorte abraça-a com força, para lembrar o quanto a quer reter. Dizem que quem tem sorte sorri, mesmo quando não parece ter sorte nenhuma. E, ainda mais importante, sorri sempre para os outros, sendo os outros a humanidade abrangente com que se cruza, que vai desde o vizinho do elevador, ao carteiro, ao rapaz da garagem e ao condutor que vai, lado a lado, na fila vizinha. A sorte não vinga apenas na audácia da tentativa, a sorte vinga sempre num sorriso. E se há dias em que parece que a sorte não acordou para brindar o dia, há outros em que a sorte acorda antes de nós. Na verdade, não tenho técnica para a sorte que tenho, mas tenho um sorriso cravado na cara que não obedece ao lucro tangível dos dias. É apenas uma forma merecida de agradecer essa sorte primeira de acordar todos os dias para fazer aquilo de que gosto.'' - Isabel Saldanha às nove no meu blogue »

  • (re)ler para nunca esquecer *

    13 Outubro 2019 na vida é preciso realçar muito mais o que nos alegra e muito menos o que nos dói. é preciso aprender a distinguir o caminho que mais queremos [nem sempre o melhor] daquele que mais precisamos. é preciso aprender a resistir aos golpes todos da vida e ganhar o nosso próprio respeito.?é preciso ver (e reparar) que o reconhecimento mais importante que há na vida não tem nada que ver com aplausos (ou likes). o reconhecimento mais importante da vida é o elogio sentido, sincero, honesto que fazemos a nós mesmos. pelas lutas que lutámos, pelas dores que sarámos, pelas pessoas que?ganhámos?e, acima de tudo, pela paz que fazemos perdurar no lugar mais sagrado que temos:? o nosso mundo interior. às nove no meu blogue »