• Huawei lidera mercado de smartphones em Portugal por causa da Leica

    20 Julho 2018 Pela primeira vez no mercado português, a marca atingiu a liderança no ranking de vendas de smartphones. No primeiro semestre de 2018, as vendas de equipamentos aumentaram 32%. Bit »

  • Da globalização à renacionalização

    18 Julho 2018 i Online »

  • Novo Tesla Model 3 Dual-Motor Performance chega este mês

    16 Julho 2018 >/>A Tesla confirmou que as primeiras entregas da versão Performance de duplo motor e tração integral do seu Model 3 irão iniciar-se no final deste mês de julho. >/> A produção desta versão Dual-Motor do Model 3 começaram há algumas semanas em Fremont, numa instalação temporária que a Tesla instalou no exterior da fábrica - elevando assim para três o número de linhas de montagem afetas à produção do Model 3. Nesta terceira linha de montagem, atualmente, apenas está a ser montada a versão mais potente do Model 3, a AWD Dual-Motor Performance que começará a chegar aos cliente no final deste mês de julho - a empresa norte-americana não revelou, contudo, o número de unidades previstas para entrega. Esta nova versão Performance conta com as baterias de maior capacidade do Model 3 - as 'Long Range' -  que permitem uma autonomia de 500 quilómetros segundo o ciclo EPA. De acordo com dados divulgados pela empresa, o novo Model 3 AWD Dual-Motor Performance é capaz de acelerar dos 0 aos 96 km/h (0-60 mph) em apenas 3,5 segundos e atingir os 250 km/h (com a opção 'velocidade máxima' instalada). Automonitor »

  • Apple vendeu menos de 1 milhão de iPhones na Índia

    16 Julho 2018 >/>Indiferente às perspectivas optimistas de Tim Cook de que a Índia poderia ser a próxima China para a Apple a nível de crescimento de vendas, a realidade tem sido bem diferente, com a Apple a nem sequer ter conseguido vender 1 milhão de iPhones na primeira metade de 2018.>Com mais de 1.3 mil milhões de habitantes, a Índia um mercado tão apetecível quanto a China e a Apple está bem consciente disso. No entanto, a sua estratégia para o território, onde detém apenas 2% de quota de mercado,? não parece estar a produzir bons resultados. Segundo as estimativas da Counterpoint Research, em 2017 a Apple vendeu apenas 3.2 milhões de iPhones na Índia em 2017, e o ano de 2018 tem sido ainda pior, vendendo >menos de 1 milhão de unidades no primeiro semestre?- contrariando directamente Tim Cook, que diz ter conseguido "vendas recorde" nesse mesmo período.Se as estimativas das vendas são algo que se pode por em causa, o que não deixa margem para dúvidas é a onda de despedimentos nos executivos de topo da Apple no país, que já fizeram rolar o responsável pelas vendas e distribuição, o responsável pelos canais comerciais, e o responsável pelas vendas para os operadores de telecomunicações. Despedimentos que não fariam muito sentido se se estivessem a fazer "vendas recorde" como Tim Cook diz...Os preços elevados dos iPhones são um ponto crítico que prejudica a Apple num país como a Índia, fazendo com que a maioria dos modelos esteja longe das possibilidades financeiras dos indianos, o que tem feito a Apple promover modelos dos anos anteriores a preços mais reduzidos - mas que mesmo assim não parecem ser suficientemente apelativos face à enorme oferta de modelos novos da plataforma concorrente - com a Xiaomi a tirar partido disso, tendo superado a Samsung e subido para a primeira posição nas vendas no país.Vai ser interessante ver o que a Apple estará disposta a fazer para "segurar a Índia", que a este ritmo se pode tornar num dos primeiros mega-mercados onde os iPhones e iOS podem ficar virtualmente extintos. >> >> >> Aberto até de Madrugada »

  • 1.º semestre 2018: Renault já vendeu 2,1 milhões de carros

    16 Julho 2018 >/>No primeiro semestre as vendas mundiais de veículos de passageiros + veículos comerciais ligeiros (VP + VCL) do Grupo Renault (incluindo as marcas Lada, Jinbei e Huasong) registaram um crescimento de 9,8 %. A quota de mercado do Grupo atingiu 4,3 % (+0,2 pontos). >/> Quer o Grupo quer as marcas Renault e Dacia estabelecem novos recordes de vendas num semestre com, respetivamente, 2.067.695, 1.378.583 e 378.095 automóveis vendidos. As vendas da Lada, por seu turno, registaram um crescimento de 24,0 % e as da Renault Samsung Motors uma quebra de 26,9 %. Desde o dia 1 de janeiro de 2018, o Grupo Renault integra também as vendas das marcas Jinbei e Huasong que venderam mais de 85.000 automóveis. Na Europa, as vendas do Grupo tiveram uma progressão de 4,4 % face aos 2,8% de crescimento do mercado. Aos 1 070 718 automóveis vendidos no semestre, corresponde uma quota de mercado para o Grupo de 11,0 %, (+ 0,2 pontos). As vendas da marca Renault registaram uma progressão de 1,1 %, e a quota de mercado atingiu 8,1%. No segmento dos veículos elétricos a Renault conserva a sua liderança na Europa com uma quota de mercado de 21,9%. A marca Dacia obteve, na Europa, um novo recorde de vendas com 281 225 unidades (+14,6 %), e uma quota de mercado, também ela recorde, de 2,9 % (+0,3 pontos). A marca Alpine registou as primeiras entregas e, desde o lançamento, foram já reservadas 4.800 unidades. Nos mercados fora da Europa, as vendas do Grupo tiveram um crescimento de 16,4 %. Este crescimento foi sustentados pelos desempenhos nas Américas (+18,1%), Ásia-Pacífico (+69,5 %), e Eurásie (+15,1 %). Apenas a região Àfrica Médio-Oriente Índia registou um decréscimo das vendas (-4,5%). Na região Américas, as vendas cresceram 18,1 % num mercado que progrediu 6,3 %. A quota de mercado do Grupo nesta região atingiu um novo recorde histórico num semestre com 7,3 %, e um aumento de 0,7 pontos percentuais. A região Ásia Pacífico integra, desde 1 de janeiro de 2018, as vendas das marcas Jinbei e Huasong após a criação da co-empresa com a Brilliance China Automotive Holdings Limited. Nesta região as vendas registaram um crescimento de 69,5 %. Na região Eurásia, as vendas cresceram 15,1 % num mercado que progrediu 9,4 %. A quota de mercado do Grupo aumentou 1,3 pontos e atingiu 25,8 %. Em cada 4 automóveis vendidos nesta região 1 é das marcas Renault ou Lada. Na Rússia a marca Lada registou um crescimento de 21,1 % tendo obtido uma quota de mercado de 20,0 % (+0,5 pontos). Na região Áfrique-Médio-Oriente-Índia, as vendas tiveram uma quebra de 4,5 %, num mercado que aumentou 10,1 %. Este resultado deve-se, no essencial, à quebra de vendas no Irão (-10,3), e Índia (-25,4%). No mercado Indiano a Renault mantém o seu estatuto de primeira marca Europeia do mercado. Perspetivas para 2018 O mercado mundial deverá registar um crescimento de 3% face a 2017. O mercado Europeu deverá aumentar 1,5%, e o mercado francês 2%. Fora da Europa é esperado um crescimento de 10% do mercado brasileiro e superior a 10% para o mercado russo. Na China o crescimento do mercado deverá atingir 5%, e o mercado indiano deverá ter uma progressão de 8 %. Neste contexto, o Grupo pretende manter a sua trajetória de crescimento das vendas, sobretudo nos mercados fora da Europa e de acordo com o novo plano Drive the Future. [gallery type="slideshow" size="full" ids="105965,105168,102826,105383,90115"] >Vendas Totais do Grupo VP+VCL por região > >Acumulado vendas a junho* > >2018 >2017 >% variação >França >389 216 >368 002 >5,8% >Europa* (sem França) >681 502 >657 558 >3,6% >Total França + Europa >1 070 718 >1 025 560 >4,4% >África Médio Oriente Índia >240 494 >251 723 >-4,5% >Eurásia >371 789 >323 051 >15,1% >Américas >214 370 >181 592 >18,1% >Ásia Pacífico >170 324 >100 465 >69,5% >Total sem França + Europa >996 977 >856 831 >16,4% >Mundo >2 067 695 >1 882 391 >9,8% >* Europa = União Europeia, Islândia, Noruega & Suíça ? ? >Vendas totais por marca > >Acumulado a junho* > >2018 >2017 >% variação >RENAULT > > > >VP >1 164 141 >1 144 343 >1,7% >VCL >214 442 >201 537 >6,4% >VP+VCL >1 378 583 >1 345 880 >2,4% >RENAULT SAMSUNG MOTORS > > > >VP >38 580 >52 776 >-26,9% >DACIA >VP >355 068 >310 653 >14,3% >VCL >23 027 >22 712 >1,4% >VP+VCl >378 095 >333 365 >13,4% >LADA > > > >VP >179 843 >144 832 >24,2% >VCl >6 683 >5 538 >20,7% >VP+VCL >186 526 >150 370 >24,0% >ALPINE > > >VP >644 > >JINBEI&HUASONG > > > >VP >8 657 > >VCL >76 610 > >VP+VCL >85 267 > > >GRUPO RENAULT >VP >1 746 933 >1 652 604 >5,7% >VCL >320 762 >229 787 >39,6% >VP+VCL >2 067 695 >1 882 391 >9,8% ? ? >15 principais mercados do Grupo Renault no final de junho 2018 >  >  >Volumes 2018* >Quota Mercado VP+VCL 2018 >(unidades) >(em % ) >1 >FRANÇA >389 216 >27,23 >2 >RÚSSIA >240 728 >28,35 >3 >ALEMANHA >124 251 >6,28 >4 >ITÁLIA >118 376 >9,79 >5 >CHINA >117 646 >0,88 >6 >ESPANHA >100 841 >11,89 >7 >BRASIL >93 850 >8,33 >8 >ARGENTINA >70 536 >14,63 >9 >TURQUIA >68 414 >19,36 >10 >IRÃO >61 354 >8,10 >11 >REINO-UNIDO >57 290 >3,82 >12 >BÉLGICA+LUXEMBURGO >52 962 >12,92 >13 >ÍNDIA >42 697 >2,11 >14 >COREIA DO SUL >40 920 >4,62 >15 >MARROCOS >39 747 >43,67 >*Vendas não incluem o Twizy Automonitor »

  • SEAT inicia produção dos Arona e Leon na Argélia

    16 Julho 2018 >/>A SEAT continua a crescer fora da Europa: a estratégia de globalização da empresa espanhola ganha um novo impulso com a montagem final do Arona e do Leon na fábrica do Grupo Volkswagen e da SOVAC, o importador do Grupo na Argélia, na cidade de Relizane, a 280 quilómetros a sudoeste de Argel. Ambos os modelos já estão à venda nos concessionários da SEAT na Argélia. >/> O Arona e o Leon aspiram ao sucesso do Ibiza - tal como o Ibiza, ambos são fabricados na unidade de Martorell e a montagem final para o mercado argelino realiza-se, a partir de agora, na fábrica de Relizane. O Ibiza, que é montado na Argélia desde a inauguração da fábrica há um ano, multiplicou as vendas da SEAT no país norte-africano. No primeiro semestre de 2018, a SEAT entregou 11.400 automóveis na Argélia, que se tornou um dos seus mercados de maior volume. "Para dinamizar a estratégia de globalização é imprescindível montar os modelos fora da Europa, como fazem outros fabricantes europeus de automóveis. A Argélia é o nosso primeiro passo nessa direção já que é um dos principais mercados da região e para a SEAT é uma oportunidade clara para o crescimento, como são os restantes países do Norte de África, onde a SEAT tem a responsabilidade de liderar a expansão do Grupo Volkswagen. Com o Arona e o Leon, ampliamos a gama de produtos que oferecemos na Argélia e isso irá permitir-nos consolidar a nossa posição neste país. Somos, e queremos continuar a ser, uma das marcas com maior crescimento na Europa e, ao mesmo tempo, crescer globalmente", explicou o Vice-presidente Comercial da SEAT, Wayne Griffiths. Neste sentido, a SEAT assinou na semana passada um acordo segundo o qual se une à joint venture JAC Volkswagen, tornando-se acionista. O acordo também contempla a introdução da marca SEAT na China, em 2020-2021, e que a empresa se converta na marca líder do Grupo Volkswagen neste projeto. Recorde no 1.º semestre O bom resultado da SEAT na Argélia é um dos impulsionadores do aumento global das vendas no primeiro semestre de 2018. A SEAT mantém-se num volume recordista, tendo batido o maior número de vendas da sua história com 289.900 automóveis entregues em todo o mundo, mais 17,6% do que no mesmo período de 2017 (246.500). Este êxito estendeu-se à fábrica de Martorell, que completou um dos melhores primeiros semestres da sua história. Com um volume de 283.312 veículos fabricados, a produção cresceu 20,6% em relação ao primeiro semestre de 2017 e alcançou um nível de ocupação de 95% da sua capacidade máxima atual, o equivalente a 2.300 automóveis diários. Na segunda metade do ano, o Audi A1 substituirá o Audi Q3 na linha 3, que deverá estar em pleno rendimento no final do corrente ano. Automonitor »

  • Portugal arranca europeu sub-19 da melhor forma

    16 Julho 2018 i Online »

  • PSA cresce 38% no 1.º semestre e estabelece recorde

    13 Julho 2018 >/>A ofensiva SUV do Groupe PSA, através de 13 modelos lançados em todo o mundo pelas suas cinco marcas – Peugeot, Citroën, DS Automobiles, Opel e Vauxhall – suportaram a boa dinâmica comercial da empresa no primeiro semestre de 2018: o grupo comercializou 2.181.800 veículos em todo o mundo, um recorde histórico, com um crescimento de 38,1% comparativamente ao 1º semestre de 2017. [gallery type="slideshow" size="full" ids="97666,97665,103829,105141,105859,95095"] A marca Peugeot é líder do mercado SUV europeu, tendo comercializado mais de 339.200 unidades em todo mundo (+26%). Desde o início do ano, a Peugeot tem confirmado a boa dinâmica do SUV Peugeot 3008, modelo de vendeu 144.000 unidades (+37%), retirando, igualmente, benefícios do sucesso comercial do novo Peugeot 5008, com 58.900 unidades vendidas. Lançada no outono passado, a ofensiva SUV da Citroën é suportada pelo C3 Aircross na Europa e pelo C5 Aircross na China, modelos que, em conjunto, totalizaram cerca de 80.000 unidades vendidas no 1º semestre de 2018, volume que ascende a 135.000 unidades desde os seus respetivos lançamentos. Os novos C4 Aircross e C5 Aircross, modelos a lançar na segunda metade do ano na China e na Europa, respetivamente, permitirão à Citroën acelerar esta sua ofensiva. Lançado em fevereiro de 2018 a nível mundial, o DS 7 CROSSBACK, primeiro modelo DS da segunda geração, está no foco do crescimento que a DS Automobiles alcançou no 2º trimestre (+35%). Dois em cada três clientes optam pelas versões topo de gama e, além do DS 7 CROSSBACK integrar equipamento premium logo a partir do nível de entrada, um cliente em cada dois adquire a opção DS CONNECTED PILOT, porta de entrada rumo à condução autónoma de nível 2. As marcas Opel e Vauxhall integram, igualmente, uma ofensiva de produto histórica no segmento dos SUV, através da família “X”, composta pelos modelos Crossland X, Mokka X, e Grandland X, representando, em conjunto, 167.200 unidades vendidas no decurso do 1º semestre do ano, num processo concentrado na melhoria da rentabilidade das marcas, em coerência com o plano estratégico PACE!. O Groupe PSA regista um novo recorde de vendas no mercado VCL: 289.500 unidades vendidas, o que representa um crescimento de 32,8%. Sem se incluir a Opel/Vauxhall, essa evolução é de 8,3%. Após a renovação dos seus furgões compactos em 2016, o Grupo aposta numa nova etapa na modernização da sua oferta VCL, com a introdução, na segunda metade deste ano, de uma nova geração de pequenos furgões: Peugeot Partner, Citroën Berlingo Van e Opel/Vauxhall Combo. Na Europa, o Groupe PSA, líder de um mercado onde regista mais do que uma venda em cada quatro unidades comercializadas, foi, também, líder no final de maio no subsegmento dos pequenos furgões (35,2% de quota) e dos comerciais médios (26,2%). Fora da Europa, o Grupo também continua com a sua ofensiva VCL: na Eurásia as vendas aumentaram 9%, com a nova produção local dos novos Peugeot Expert e Citroën Jumpy, lançados no 1º semestre, e na América Latina, onde uma oferta renovada de produtos e serviços contribuiu para um crescimento dos volumes em 27,8%. Europa Na Europa, as vendas do Grupo ascenderam a 1.673.700 unidades, um aumento de 61,5%, incluindo 550.900 unidades vendidas pelas marcas Opel e Vauxhall. A sua quota de mercado atingiu os 17,2%, aumentando 6 pontos percentuais. No perímetro das marcas Peugeot-Citroën-DS Automobiles, a quota de mercado do Grupo evoluiu nos seus principais mercados: França (+0,3 pontos), Espanha (+0,8), Itália (+1,1), Grã-Bretanha (+0,2) e Alemanha (+0,2). A sua performance foi reforçada com a integração da Opel/Vauxhall, nomeadamente no mercado alemão (quota de mercado de 10,4%) e na Grã-Bretanha (14,8%). A Peugeot é a marca que mais evoluiu desde o início de 2018. Os Peugeot 2008 e 3008 surgiam, no final de maio, no pódio do seu segmento, respetivamente, na 2ª e 3ª posições. O novo Peugeot 508 regista uma excelente receção, com mais de 2.000 encomendas desde o seu lançamento, incluindo 1.000 unidades da versão “First Edition”, que apenas podia ser encomendada online. As vendas da Citroën aumentaram 7,4%, atingindo um volume recorde de 7 anos na Europa. Este desempenho permite-lhe ganhar quota de mercado, nomeadamente com o C3, modelo que integra o top 5 do seu segmento, com a nova Berlina C4 Cactus, lançada em março (+35% no 2º trimestre) e com o novo SUV C3 Aircross (mais de 90.000 encomendas na Europa desde o seu lançamento, em outubro último). A marca DS registou um crescimento nas suas vendas, na ordem dos 25,1%, no 2º trimestre deste ano, com um aumento de 43%. Em França, o seu mercado principal, o DS 7 CROSSBACK assume a liderança da categoria no seu mercado dos C-SUV premium há 3 meses consecutivos. Com a abertura, na Europa, de 110 pontos de venda nos últimos 6 meses, o desenvolvimento da rede DS está a intensificar-se, passando a contar com 260 espaços dedicados. Também a Opel/Vauxhall continua com a sua ofensiva europeia, suportada pela família “X”, sendo a marca líder deste mercado no subsegmento B-SUV, com 122.600 unidades vendidas dos modelos Mokka X e Crossland X. Após o lançamento da versão desportiva Insignia GSi, a marca irá propor, no 2º semestre, outro GSi, versão desportiva da gama Corsa. Os novos modelos Combo Life e Cargo irão contribuir para esta nova dinâmica. Médio-Oriente & África Num contexto regional incerto, as vendas do Grupo ascenderam às 226.100 unidades, registando uma retração de 18,6%, resultante do facto de, desde o passado dia 1 de maio, não serem tidas em conta as vendas de veículos fabricados no Irão nas suas vendas globais consolidadas. A marca Peugeot cresceu em quota de mercado na Tunísia, Turquia e Egito, continuando a ser o líder no mercado DOM (ex-territórios franceses ultramarinos). O Groupe PSA continua com o seu plano estratégico de desenvolvimento industrial, tendo assinado, em março último, um acordo de joint-venture para arrancar com uma fábrica de montagem Peugeot e Opel em Walvis Bay, na Namíbia, arrancando também, a partir de setembro próximo, com a montagem da Peugeot Pick-Up na Tunísia. O Grupo reforçou também a sua presença comercial no Egito, com a assinatura de um novo acordo de importação com o Groupe Mansour et Scope Investiment, para a distribuição de produtos da Peugeot. Na África do Sul, no Líbano, Tunísia e Marrocos, o Grupo está a nomear parceiros de distribuição Opel. Finalmente, a ofensiva do Groupe PSA na região continua, em especial com o alargamento da oferta SUV, através dos modelos Citroën C3 Aircross, OPEL Crossland X e Grandland X, DS 7 CROSSBACK e PEUGEOT 3008, que ocupam lugares no pódio do seu segmento no mercado DOM e Turquia. A marca DS continua a desenvolver a sua rede, contando, atualmente, com 12 DS Stores e DS Salons na região. China & Sudoeste Asiático Com 163.000 veículos vendidos na China e Sudeste Asiático, uma evolução de 6,9%, o Grupo registou os primeiros sinais de recuperação comercial. A Citroën foi a marca que mais contribui para este crescimento, registando um aumento de 50,5% nas suas vendas, especialmente graças à sua gama de berlinas e ao lançamento do SUV C5 Aircross, em setembro último. O mix de volume da família SUV Peugeot 3008/4008/5008 também evoluiu, representando 40% do volume total de vendas da marca. No 2º trimestre de 2018, as vendas da DS Automobiles mantiveram-se estáveis. Na China, o DS 7 CROSSBACK foi lançado no final de abril, no Salão de Pequim. No 1º semestre, o Grupo deu passos importantes com vista ao fortalecimento da sua presença no Sudeste Asiático, tendo criado uma joint-venture com a NAZA Corporation Holdings (Malásia). O grupo PSA vendeu mais de 4.900 veículos na região ASEAN durante este 1º semestre. A aceleração nesta região é, agora, percetível. América Latina Na América Latina, o Groupe PSA registou 98.000 vendas, um aumento de 1,7%, mantendo a quota de mercado estável nos 3,9%. Este crescimento foi alcançado no contexto de uma significativa queda no mercado argentino (-18% em junho vs 2017), país onde o Grupo tem a sua quota de mercado mais robusta. Na Argentina, a DS Automobiles consolidou o seu 4º lugar no mercado premium, graças ao DS 3, modelo líder na sua categoria pelo 5º ano consecutivo. Este crescimento de volumes foi suportado também pelas ofensivas VCL (+27,8%) e SUV (Peugeot 3008 e 5008). Seguem-se novos lançamentos na região: Citroën C4 Cactus (produzido no Brasil) e DS 7 CROSSBACK, bem como do Opel Crossland X no Chile. Índia-Pacífico As vendas no Japão registaram uma forte evolução de 25%, tal como a Coreia, país que também registou um significativo crescimento de 18%. Foi ainda relançado o negócio na Austrália e na Nova Zelândia com progressos encorajadores. Sucesso em toda a região para os Peugeot 3008 e 5008, e o Citroën C3 no Japão. Eurásia O Grupo está a evoluir nos seus dois principais mercados: Rússia (+19%) e Ucrânia (+32%), totalizando 7.700 unidades vendidas na região. Este crescimento é impulsionado pela boa dinâmica dos modelos Peugeot 3008, C4 Sedan e do mercado VCL, através dos novos modelos Peugeot Expert / Citroën Jumpy e Peugeot Traveller / Citroën SpaceTourer, fabricados em Kaluga. As vendas de VCL subiram 9% na região. Automonitor »