• Rejeitados recursos da Renamo a resultados eleitorais

    19 Outubro 2018 Os tribunais distritais das cinco autarquias em que a Renamo submeteu recursos dos resultados das eleições autárquicas de 10 de outubro rejeitaram as contestações da principal força de oposição em Moçambique, disse à Lusa fonte do partido. RTP »

  • Ex-Presidente da Assembleia da República minimiza denúncias da Renamo

    17 Outubro 2018 >Em Moçambique, o antigo Presidente da Assembleia da República minimiza as denúncias de fraude e a contestação dos resultados das quintas eleições autárquicas que tiveram lugar nas 53 cidades e vilas autarquias a 10 de Outubro. Eduardo Mulembwe considera recorrente as reclamações do principal partido da oposição. >O antigo presidente da Assembleia da República de Moçambique considera que os resultados oficiais das quintas eleições autárquicas que dão vitória a Frelimo o partido no poder em 44 conselhos autárquicos, oito a Renamo e um ao MDM reflectem a vontade popular e minimiza as acusações de fraude e a contestação da Renamo, principal forca política da oposição. >"Considero de alguma maneira um assunto normal e natural. Não será pela primeira vez que esta contestação surge. Vejam historicamente o que tem acontecido nas outras eleições que tem levado a cabo no país", declarou Eduardo Mulembwe. >Também chefe da brigada central da Frelimo para a província de Maputo, Eduardo Mulembwe garante que apesar da reclamação da Renamo, o seu partido vai governar na Matola; "nós contentamo-nos com aquilo que parece trabalho que foi feito pelos órgãos competentes, neste caso os órgãos eleitorais e estes todos concidadãos, tal como a Frelimo, tiveram os seus representantes nas mesas de voto". >Entretanto, a Renamo contesta a vitória atribuída a Frelimo pelos órgãos eleitorais na Matola na eleição autárquica de 10 de Outubro e já submeteu recurso. >Mais pormenores com Orfeu Lisboa. > RFI »

  • Frelimo exige fim de chantagens políticas

    14 Outubro 2018 >Uma reacção as ameaças do coordenador interino do principal partido da oposição que a partir da serra da Gorongosa ameaçou romper as negociações pela paz com o governo por considerar que as eleições autárquicas de 10 de Outubro, foram fraudulentas, num acto levado a cabo pela Frelimo, pela policia e pelos órgãos eleitorais. >A Frelimo, partido no poder em Moçambique através do seu Porta-voz Caifadine Manasse reagiu as ameaças do coordenador da Comissão política da Renamo que põe em causa os resultados das quintas eleições autárquicas. >Em reacção à comunicação telefónica do coordenador da Comissão Política do principal partido da oposição em Moçambique, Caifadine Manasse afirma que o partido no poder e os seus cabeças de lista venceram no escrutínio de 10 de Outubro em mais de 40 das 53 cidades e vilas autárquicas do país. >“Qualquer pronunciamento, seja de onde vier, se não contribuir para a estabilidade, para a paz que é necessária, naturalmente que é sempre muito mau”, sublinhou Adriano Maleiane, em Bali, na Indonésia, onde participa nos Encontros Anuais do Fundo Monetário Internacional (FMI) e do Banco Mundial, que terminam hoje. >“Eu tenho que acreditar que o esforço do Governo, em particular do Presidente da República, de manter esta paz, que todos a vão abraçar, independentemente de se estar ou não satisfeito com uma ou outra coisa”, afirmou, preferindo enquadrar a posição do maior partido da oposição, a Renamo, “no contexto da liberdade de expressão”. >Mais informação com o nosso correspondente em Maputo, Orfeu Lisboa. > RFI »

  • Renamo reage aos resultados das autárquicas

    13 Outubro 2018 >Em Moçambique a Renamo, principal partido da oposição ameaça quebrar as negociações pela paz se o governo nada fizer para repor a vontade popular manifestada através do voto, nas eleições autárquicas de 10 de Outubro.   >Anúncio feito pelo coordenador do principal partido da oposição, Ossudo Momade que considera que as eleições que decorreram nas 53 cidades e vilas autárquicas do pais foram fraudulentas. >Três dias depois da realização das eleições autárquicas em Moçambique, insatisfeito com os resultados provisórios que estão a ser anunciados pelos órgãos eleitorais e que dão vantagem a Frelimo partido no poder no país, o coordenador da Renamo reagiu com uma seria ameaça. >Na sua comunicação via telefónica a partir da Serra da Gorongosa na província de Sofala no centro de Mocambique, Ossufo Momade considera que os resultados das eleições autárquicas não espelham a vontade popular. >A perdiz manifesta ainda preocupação com a divulgação tardia pela Comissão Nacional de Eleições CNE dos resultados nos conselhos autárquicos em que o partido, segundo estes, lidera a contagem dos votos. >De Maputo, o nosso correspondente Orfeu Lisboa. > >  RFI »

  • Resultados eleitorais moçambicanos serão divulgados pelos órgãos locais

    12 Outubro 2018 A divulgação dos resultados das eleições autárquicas em Moçambique deve começar a ser feita a partir de sexta-feira pelos órgãos eleitorais distritais e não na Internet. Observador »

  • Autoridades eleitorais moçambicanas processam resultados da votação

    11 Outubro 2018 As autoridades eleitorais de Moçambique estão a processar os resultados da votação autárquica de quarta-feira e às 07:00 apenas uma minoria dos 53 municípios tinha o apuramento completo. Observador » RTP »

  • Moçambique. Urnas fecharam numa votação com incidentes pontuais

    10 Outubro 2018 Cerca de quatro milhões de eleitores estavam registados para escolher presidentes dos 53 municípios moçambicanos e respetivos membros de assembleias. Resultados provisórios conhecidos na quarta-feira. Observador »

  • Moçambique: Incidentes marcam dia eleitoral

    10 Outubro 2018 >Cerca de 4 milhões de moçambicanos escolhem hoje os presidentes dos 53 municípios. Atrasos na abertura das mesas de voto e alguns incidentes marcaram as primeiras horas das quintas eleições autárquicas do país. >Atrasos na abertura das mesas de voto, fraca capacidade dos membros das mesas de voto em lidarem com o processo e alguns incidentes foram apontados, esta manhã, pelas organizações da sociedade civil. >O chefe de Estado, Filipe Nyusi, foi um dos primeiros a votar e apelou aos moçambicanos para exercerem o direito de voto, recomendando ainda para todos aguardarem os resultados em casa. >O líder interino da Renamo, Ossufo Momade, não deverá votar nas eleições autárquicas, uma vez que permanece na Serra da Gorongoza. >O presidente do MDM, segunda força na oposição, Daviz Simango votou na Beira, em declarações à imprensa disse estar confiante num bom resultado. >Cadernos eleitorais incompletos >Em Quelimane, o cabeça de lista da Renamo e outros 387 eleitores não constavam nos cadernos eleitorais. A situação foi denunciada por Manuel de Araújo que apelou à CNE para resolver o problema.“Estes actos poderão por em causa a paz e a unidade e reconciliação dos moçambicanos”, afirmou. >A Renamo denunciou ainda irregularidades em assembleias de voto nas províncias da Zambézia, Sofala, Niassa, Tete e Gaza, acusando a polícia moçambicana de estar a favorecer o partido no poder nas quintas eleições autárquicas. >O presidente da Comissão Nacional de Eleições, Abdul Carimo, confirmou que 5409 mesas de voto abriram esta quarta-feira e apela a que os eleitores afluam às urnas. Em 2013, 54 % de eleitores optaram por ficar em casa. >Os resultados provisórios destas eleições autárquicas disputadas por 21 partidos políticos, coligações de partidos e grupos de cidadãos serão conhecidos amanhã, quinta-feira. > >  RFI »

  • Moçambique: STAE promete resultados amanhã

    10 Outubro 2018 >Cerca de quatro milhões de eleitores foram hoje às urnas escolher os futuros dirigentes das 53 cidades e vilas autárquicas de Moçambique. Um processo que disputam 21 partidos políticos, coligações de partidos e grupos de cidadãos eleitores. O Secretariado Técnico de Administração Eleitoral-STAE- promete a projecção dos resultados provisórios são conhecidos amanhã. >O primeiro cidadão a votar, às sete da manhã, hora local, foi o Presidente da República, Filipe Nyusi falou da importância do acto para os moçambicanos. >Apesar das garantias dos órgãos eleitorais de que a máquina estava afinada para o início do processo, o certo é que houve abertura tardia de algumas mesas de voto e falhas nos cadernos eleitorais, como denunciou à porta de uma assembleia de voto, Manuel de Araújo, cabeça de Lista da Renamo principal partido da oposição. >Uma situação também reportada, em conferência de imprensa pelo Programa VOTAR Moçambique, Paula Monjane integra o consórcio das organizações da Sociedade Civil, que teceu duras críticas aos órgãos de legislação eleitoral. >Numa primeira avaliação, o Comité de Resposta e Reconciliação Nacional composto por personalidades locais e monitores da Rede de Monitoria da Sociedade Civil reportou também vários incidentes pelo país. Casos de violência verbal e física entre os delegados de candidatura dos partidos políticos, membros das mesas de votação e até entre os eleitores. Os incidentes resultaram em pouco mais de 20 feridos, denunciou Felicidade Chirindza do Comité de Resposta e Reconciliação Nacional. >Trabalharam nas quintas eleições autárquicas 38.213 membros das assembleias de voto distribuídas em 5459 mesas. >O processo acompanhado por grupos de observadores também da CPLP e mais de mil jornalistas entre nacionais e estrangeiros, encerrou as 18, hora local e seguiu-se a contagem dos votos. O Secretariado Técnico de Administração Eleitoral-STAE- promete a projecção dos resultados provisórios são conhecidos amanhã. RFI »

  • Presidente abriu a votação com atrasos em alguns locais

    10 Outubro 2018 As primeiras assembleias de voto abriram às 07h00 em Moçambique (menos uma hora em Lisboa) para as quintas eleições autárquicas no país, registando-se alguns atrasos, com o Presidente da República a 'abrir' a votação em Maputo. RTP »

  • Material eleitoral roubado no centro de Moçambique

    9 Outubro 2018 Um conjunto de 24 coletes de membros das mesas de voto e 15 urnas foram roubados nos escritórios do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) de Moçambique no distrito de Ile, província da Zambézia, anunciou a instituição. RTP »

  • Cinco mortos e 26 detidos na campanha eleitoral em Moçambique

    8 Outubro 2018 Apesar destes dados, a polícia faz um balanço positivo da campanha eleitoral, apelando aos membros dos partidos para optarem pelo civismo. As eleições autárquicas estão marcadas para quarta-feira. Observador »

  • Moçambique: tudo a postos para as eleições autárquicas

    8 Outubro 2018 > Em Moçambique os órgãos eleitorais garantem estar criadas todas as condições para a realização em segurança das quintas eleições autárquicas na próxima quarta feira. >O Director geral do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral  - STAE - Felisberto Naífe, garante que estão criadas todas as condições em termos de logística e de segurança, para que o processo de votação nas quintas eleições autárquicas decorra num clima de tranquilidade na quarta-feira, dia 10 de Outubro. >"...os materiais já se encontram todos nas autarquias, à espera de sua colocação nas mesas das assembleias de voto, o que significa que já foram cumpridas todas as etapas do calendário eleitoral". >Em conferência de imprensa, os órgãos eleitorais fizeram um balanço positivo da campanha de caça ao voto encerrada este domingo (7/10). >A missão de observação da CPLP a este escrutíneo, tem 18 elementos e vai estar presente em cinco municípios: Maputo, Matola, Beira, Quelimane e Nampula. >O seu chefe, o cabo-verdiano Amílcar Spencer Lopes afirma "estamos expectantes que decorra de forma ordeira e com resultados positivos para a nação moçambicana".  >>Entretanto, a Sala da Paz, um grupo de organizações da sociedade civil através do seu representante Dércio Alfazema mostra-se reticente , face aos incidentes registados durante a campanha nalgumas províncias moçambicanas como Tete, Zambézia e Gaza. >"...nós entendemos que esse é um sinal de que há uma situação eminente, são locais de grande risco de incidentes, o que remete para alguma preocupação e um tratamento especial". >Também o Centro de Integridade Pública - CIP - refere que os últimos dias de campanha foram marcados por "sinais preocupantes de violência" envolvendo simpatizantes dos três principais partidos Frelimo, Renamo e MDM. >O processo de votação vai decorrer na quarta feira (10/10), nas 53 cidades e vilas autárquicas do país, para a escolha dos respectivos presidentes dos conselhos autárquicos e os membros das assembleias autárquicas. >Estão inscritos perto de cinco milhões de eleitores contra os 7 milhões inicialmente previstos avançaram os órgãos eleitorais, a Comissão Nacional de Eleições CNE e o Secretariado Técnico de Administração Eleitoral STAE. RFI »