• Empresa acusada de subornos coloca ex-PR Guebuza em lista de transferências

    26 Novembro 2019 /> O antigo Presidente moçambicano Armando Guebuza, dois dos seus filhos e 17 outros moçambicanos são indicados numa lista de "transferências feitas" pela empresa Privinvest, acusada de subornos no caso das dívidas ocultas, segundo um documento consultado hoje pela Lusa. RTP »

  • Renamo pede demissão do Presidente de Moçambique

    22 Novembro 2019 >Depois do MDM, agora é a Renamo que pede a demissão do Presidente de Moçambique na sequência das revelações que implicam Filipe Nyusi e a Frelimo no caso das dívidas ocultas. A Frelimo diz que o chefe de Estado “não tem nada a ver” com o processo. >Esta sexta-feira, a Renamo, principal partido da oposição em Moçambique, pediu que o Presidente Filipe Nyusi coloque o seu lugar à disposição, depois das revelações feitas quarta-feira, em tribunal, em Nova Iorque.>Ontem, o MDM, terceiro partido parlamentar, também pediu que Filipe Nyusi coloque o lugar à disposição no prazo de 72 horas e que a Frelimo, partido no poder, explique o seu papel no caso das dívidas ocultas.>Em conferência de imprensa, na sede nacional do partido, em Maputo, José Manteigas, porta-voz da Renamo, disse que a formação pede a demissão “imediatamente” de Filipe Nyusi porque o seu envolvimento no processo "põe em causa a reputação, idoneidade, confiança e legitimidade para continuar a conduzir os destinos do país" e ele não tem "condições morais para propalar discursos de combate à corrupção" ou de respeito pela legalidade.>A Renamo pediu, ainda, que a Procuradoria-Geral da República accione os mecanismos legais para o "apuramento da verdade" para responsabilização civil e criminal dos envolvidos nas dívidas ocultas.> >As revelações >Na quarta-feira, Jean Boustani, o principal arguido no caso das dívidas ocultas, em julgamento nos Estados Unidos, afirmou que a empresa Privinvest pagou cinco milhões de dólares para a campanha presidencial de Filipe Nyusi de 2014 (um milhão para a campanha própria e quatro milhões para a Frelimo), a pedido do antigo Presidente Armando Guebuza.>Numa sessão anterior do julgamento, a acusação norte-americana também revelou registos bancários de uma transferência de 10 milhões de dólares de uma subsidiária da Privinvest, para a Frelimo, em quatro tranches, em 2014.> >Frelimo responde que Filipe Nyusi “não tem nada a ver” com as dívidas ocultas>Esta quinta-feira, Caifadine Manasse, secretário do Comité Central da Frelimo para a Comunicação e Imagem, disse que Filipe Nyusi “não tem nada a ver com a questão das dívidas” e que "continua calmo e segue os acontecimentos".>Sobre o facto de a Frelimo ser citada, Caifadine Manasse argumentou que o partido está "a seguir o julgamento".>O porta-voz do partido no poder desvalorizou, ainda, as exigências de demissão do Presidente da República feitas pelos partidos da oposição e apelou à calma aos moçambicanos. >O estaleiro naval Privinvest é acusado de subornar governantes, políticos e banqueiros para levarem avante os projectos das empresas marítimas moçambicanas Ematum, MAM e Proindicus, as quais, entre 2013 e 2016, assumiram dívidas ocultas de 2,2 mil milhões de dólares com avales do Estado.>  RFI »

  • MDM pede demissão de Presidente de Moçambique

    21 Novembro 2019 >O MDM exige a demissão do Presidente de Moçambique depois das revelações no caso das dívidas ocultas que apontam o nome de Filipe Nyusi. O partido promete uma marcha de protesto. >O MDM, terceira maior força política e na oposição em Moçambique, pediu, esta quinta-feira, que o Presidente Filipe Nyusi coloque o seu lugar à disposição, depois das revelações sobre as dívidas ocultas feitas na quarta-feira, em tribunal, em Nova Iorque.>“Depois de termos conhecimento que o actual chefe de Estado recebeu um milhão de dólares, o partido Frelimo recebeu 10 milhões de dólares - e há comprovativos através do banco internacional de Moçambique - nós exigimos que nas próximas 72 horas o chefe do Estado coloque o seu cargo à disposição, que o partido Frelimo venha a público esclarecer e que a PGR notifique o partido Frelimo, notifique o senhor Armando Guebuza , notifique o senhor Filipe Jacinto Nyusi porque o país não pode ser governado nos próximos cinco anos por um grupo de gangsters”, afirmou Augusto Pelembe.>O representante do MDM lembrou que o seu partido que já havia alegado fraude para rejeitar os resultados que reelegeram Filipe Nyusi em Outubro. O dirigente da oposição disse, ainda, que o partido vai “apelar para uma marcha a nível nacional”.>A reacção do MDM surge depois de o principal negociador da Privinvest, Jean Boustani, ter revelado, na quarta-feira, que o actual Presidente de Moçambique e da Frelimo, assim como o antigo ministro das Finanças, Manuel Chang, receberam milhões de dólares para campanhas eleitorais em 2014.>Oiça aqui a reportagem de Orfeu Lisboa, correspondente em Maputo. RFI »

Títulos da Imprensa nas últimas 24h: