• Novo iPhone de 6.1 pode ser mais barato do que se pensa?

    24 Junho 2018 >/>Vão surgindo cada vez mais imagens que vão confirmando as suspeitas sobre o que se espera para os iPhones deste ano, e o modelo mais económico, que irá crescer para os 6.1" deverá efectivamente optar por um ecrã LCD e ter margens maiores que os novos iPhones com ecrã OLED.>Para este é esperado que a Apple apresente três novos iPhones com design idêntico ao que foi estreado no iPhone X: dois iPhones com ecrãs OLED, de 5.8" e 6.5", que se poderão considerar os sucessores do iPhone X em versões normal e plus; e também outro iPhone que adopta um design full-screen, mas que recorre a um LCD para manter os custos mais reduzidos, e que terá um tamanho de 6.1".>/>Este iPhone mais económico vem também sem outras características para manter esse preço reduzido: como apenas uma câmara traseira em vez de um sistema de câmara dupla, chassis em alumínio em vez de aço, e sem 3D Touch. No entanto, também ele terá direito à câmara 3D frontal para tornar o Face ID o sistema de autenticação comum a toda a nova gama de iPhones, que sinalizará também o ponto final no Touch ID.O preço deste novo iPhone de 6.1" poderá começar nos 700 euros, ficando a cargo dos outros modelos ocupar os patamares dos 800 e 900 euros... Mas poderá também dar-se o caso da Apple querer jogar um trunfo nesse campo, apresentando este iPhone a um preço mais reduzido do que se espera, para promover as vendas e trocas dos iPhones das gerações anteriores - pelo menos é isso que poderá indicar o facto da Apple estar confiante de que este modelo será o mais procurado, tendo já encomendado mais ecrãs LCDs (cerca de 30 milhões) do que ecrãs OLEDs para os outros iPhones. >> >> >> Aberto até de Madrugada »

  • Oppo Find X vem com câmara 3D e começa nos €999

    20 Junho 2018 >/>Se ficaram interessados no novo >Find X da Oppo com ecrã total sem recortes, temos boas e más notícias: a boa notícia é que a Oppo recorreu a uma câmara frontal 3D idêntica à que é utilizada no iPhone X da Apple; a má notícia é que este smartphone vai custar 999 euros na Europa.>A Oppo recorreu a um engenhoso sistema motorizado para resolver o problema de ter um smartphone com ecrã completo sem recortes e necessitar de espaço para as câmaras; com uma secção superior que se levanta por trás do ecrã para revelar a câmara frontal e câmara dupla traseira. O que não estava claro na altura é que a Oppo dispensou o sensor de impressões digitais - à semelhança do que a Apple fez no iPhone X - precisamente por também recorrer a uma câmara 3D "a sério", o que de certo modo confirma que o "X" no seu nome não terá sido mera coincidência.>/>Quando o iPhone X foi lançado estimou-se que demoraria um par de anos até que os restantes fabricantes pudessem implementar soluções idênticas ao Face ID; mas assim fica confirmado que isso foi conseguido em menos de um ano - de referir que para além deste Find X, também o >Mi 8 da Xiaomi conta com um sistema idêntico na sua versão Explorer Edition (que adicionalmente também conta com sensor de impressões digitais integrado no ecrã).No caso deste Oppo, temos também a boa notícia de que a Oppo o vai comercializar oficialmente na Europa (e Espanha será um dos países de lançamento, o que poderá facilitar a aquisição por quem estiver interessado nele). Mas a parte menos boa é a de que estamos a falar de um smartphone que vai custar 999 euros.... E se acharem que não é suficientemente exclusivo, vai também haver uma edição Oppo Find X Automobili Lamborghini Edition, com 512GB, tampa traseira em fibra de carbono e que estreará o novo sistema de carregamento rápido Super VOOC que carrega 100% da bateria em apenas 35 minutos (evolução do VOOC normal da Oppo); pela módica quantia de 1699 euros (de certa forma, até podemos considerar uma pechincha face >Huawei Mate RS "Porsche" de 2095 euros). >> >> >> Aberto até de Madrugada »

  • Huawei patenteia sistema de montagem para smartphones com margens mais reduzidas

    20 Junho 2018 >/>A luta para emagrecer as margens em redor dos ecrãs nos smartphones está ao rubro, ao ponto da Huawei pedir uma patente para um sistema de montagem que poderá reduzir as margens ainda mais.>À medida que os ecrãs vão crescendo e as margens se vão reduzindo, o truque para fixar um ecrã sem necessitar de margens visíveis passa a ser mecânico. Em vez do sistema de chassis unibody, a Huawei propõe a utilização de um chassis principal onde o ecrã encaixa directamente, contando apenas com duas reduzidas tiras metálicas laterais que >resultam em margens praticamente invisíveis.>/>A imagem acima dá-nos uma ideia de como poderiam ficar as margens laterais; mas suspeito que as margens em cima e em baixo seriam também mais reduzidos, pois o ecrã poderia "assentar" sobre o corpo do smartphone e prolongar-se praticamente até aos seus limites. Afinal, não são as margens laterais que têm "incomodado" os utilizadores, mas sim as margens mais volumosas que ainda vão permanecendo em cima ou em baixo.Veremos se a Huawei tem intenções de aplicar esta patente num dos seus próximos smartphones, ou se é apenas mais uma patente para manter no arquivo, como forma de impedir que os seus concorrentes recorram a esta mesma técnica no futuro. >> >> >> Aberto até de Madrugada »

  • Como os Teslas vêem a estrada

    19 Junho 2018 >/>Com as capacidades do Autopilot da Tesla a serem frequentemente postas em causa, eis que surgem alguns vídeos e imagens que revelam como o Autopilot vê a estrada e o mundo à sua volta.>Não é frequente as empresas darem acesso a informação técnica sobre como os seus automóveis vêem as estradas e demais objectos. No caso da Tesla já vimos um >vídeo que nos mostrava isso, mas que era referente ao sistema da Mobileye - que a Tesla acabou por abandonar depois do primeiro acidente que resultou na morte do condutor, optando por desenvolver o seu sistema de raiz.Há por isso bastante curiosidade para saber que tal o seu novo sistema se equipararia ao anterior; e embora as imagens do >Autopilot em versão completamente autónoma fossem inspiradoras, parecia haver uma grande discrepância face ao sistema existente nos carros actuais... que estas imagens parecem confirmar.Os vídeos que se seguem, referentes ao sistema ainda em 2017, mostram a identificação feita pelo Autopilot (apenas parcial), marcando veículos e objectos com um círculo com tamanho proporcional à sua proximidade e código de cor: verde para objectos em movimento, amarelo para veículos parados, laranja para objectos estacionários, e vermelho para desconhecido. No primeiro vídeo essa informação é complementada com informação obtida pelo radar.>>Podemos dizer que, à primeira vista, o sistema não parece impressionar face aos vídeos referidos acima, das capacidades do Autopilot quando contava com a tecnologia da Mobileye, nem o que a Tesla mostrou na demonstração de condução 100% autónoma - mas novamente, há que relembrar que estamos a ver apenas informação parcial.Mais interessante será ver que nas imagens mais recentes, já referentes à versão actual do Autopilot, a Tesla parece ter >dado um grande salto evolutivo.>/>Esta versão mais recente conta com sistema de inteligência artificial bastante reforçado face aos anteriores, e já parece ter melhor capacidade de individualizar e identificar os veículos.>/>Até mesmo os problemáticos veículos parados na berma, que têm sido alvo de algumas colisões com os Tesla em piloto automático, parecem já ser melhor detectados - embora, pelo menos na informação apresentada na imagem, o trabalhador debruçado sobre a estrada pareça não ter sido identificado (mas pode ser simplesmente devido ao facto de não se estar a ver toda a informação extraída das imagens).Talvez seja tempo da Tesla nos mostrar >outro vídeo -oficial- de como o novo Autopilot vê a estrada com mais informação visível, e aí já poderíamos ficar com uma melhor ideia do que afinal o seu carro consegue ver... ou não. >> >> >> Aberto até de Madrugada »

  • Oppo Find X troca notch por câmaras pop-up motorizadas

    19 Junho 2018 >/>Numa altura em que começa a ser complicado encontrar sítio para as câmaras nos smartphones com ecrãs "full-screen", a Oppo recorre à experiência que tem em sistemas motorizados, para nos trazer o Find X com ecrã completo e sem notch.>O polémico "notch" nos ecrãs tem sido um imperativo técnico devido à necessidade de ter espaço físico para colocar a câmara (e outros sensores) na parte da frente, mas o desejo de ter um ecrã a ocupar a totalidade da parte frontal tem levado alguns fabricantes a tentarem outras soluções. Modelos como o da Vivo apostam numa câmara móvel pop-up que se esconde atrás do ecrã, mas para o >Find X a Oppo recorreu a esse sistema para todas as câmaras, tanto a câmara frontal como as câmaras traseiras.>/>O sistema, motorizado, levanta toda uma secção na parte superior do smartphone, que integra o bloco de câmaras, sempre que as câmaras são necessárias - escondendo-se (e protegendo as lentes) no resto do tempo.O Oppo Find X vem equipado com um ecrã OLED de 6.4" (Full HD+) full-screen com margens reduzidas em todos os lados (e sem notch), Snapdragon 845, 8GB de RAM, 128GB / 256GB, câmara dupla de 20MP+16MP, câmara frontal de 25MP, dual SIM, bateria de 3730mAh com Quick Charge, e Android 8.1 (Color OS da Oppo).>/>A questão que se coloca é a fiabilidade do sistema mecânico de elevação e retracção das câmaras, já que a Oppo abdicou do sensor de impressões digitais, recorrendo - ao estilo do que a Apple fez no iPhone X - exclusivamente a um sistema de reconhecimento facial 3D. Isto significa que o sistema das câmaras terá que funcionar de todas as vezes que o utilizador se tiver que autenticar, o que representará muitas dezenas de vezes por dia.... Mas como disse no início, a Oppo já tem bastante experiência em sistemas motorizados - lembram-se no >Oppo N3? - e na corrida para os ecrãs completos sem recortes, é bem provável que sistemas como este se comecem a tornar cada vez mais populares. >> >> >> Aberto até de Madrugada »

  • Elon Musk revela que há um «sabotador interno» na Tesla

    19 Junho 2018 O fundador da Tesla e da SpaceX enviou um email a todos os funcionários informando-os de que há um sabotador interno, que alterou código nos produtos e enviou dados para o exterior./> Exame Informática »

  • Taxify está a recrutar motoristas para o Porto

    18 Junho 2018 >/>A Taxify, a plataforma de mobilidade europeia que chegou em janeiro a Lisboa, está a recrutar motoristas no norte do país para lançar a plataforma na cidade do Porto. >/> Agora os motoristas e gestores de frota da cidade invicta também já podem registar-se no site da plataforma para começar a conduzir com a Taxify nas próximas semanas - em Lisboa, a plataforma europeia já conta com mais de mil motoristas registados. "Após seis meses de crescimento na capital, chegou a altura de rumarmos ao norte do país para oferecer melhores condições aos motoristas e tarifas mais acessíveis aos utilizadores portuenses. O recrutamento no Porto é uma ótima oportunidade para os motoristas, já que, ao conduzir com a Taxify, poderem ter um maior rendimento, em comparação com outros concorrentes", afirmou David Ferreira da Silva, responsável pela Taxify em Portugal. A plataforma de mobilidade europeia completou recentemente uma ronda de investimento de 175 milhões de dólares liderada pelo grupo automóvel Daimler. "Esta ronda de investimento mais recente permitirá avançar com o lançamento da Taxify no Porto nas próximas semanas", acrescentou David Silva. A aplicação da Taxify está agora disponível para dispositivos >iOS e >Android. Automonitor »

  • Primeiro Tesla Model 3 Performance com 2 motores sai da linha de montagem

    17 Junho 2018 >/>O novo Tesla Model 3 Performance pode ser >mais caro que um Model S base mas, tal como prometido pela Tesla, já está finalmente a sair da fábrica e não devem faltar interessados.>Elon Musk recorreu mais uma vez ao Twitter para >partilhar este primeiro Model 3 Performance, e também congratular a sua equipa por terem conseguido instalar uma nova linha de montagem em apenas três semanas - sendo que nesta fase ele >tem estado continuamente na fábrica para acelerar o processo de produção, que nesta altura já deverá rondar os 5000 automóveis por semana.Este Model 3 Performance contra com dois motores (um em cada eixo) melhorados em relação às versões "Dual" normais - que lhe permitem acelerar até aos 100Km/h em apenas 3.5s -? e vem com alguns elementos exclusivos, como os travões em vermelho e interior em branco, e também jantes de 20" (que infelizmente não sei se serão muito apropriadas para as nossas estradas). A autonomia anunciada é de 500Km e o preço começa nos 78 mil dólares... sem Autopilot.Um lançamento que chega num período um pouco complicado, pois a Tesla acaba de despedir cerca de 9% dos funcionários (não os da linha de montagem), num processo que tem sido >criticado por alguns dos afectados?mas também >compreendido por outros. Seja como for, para os Europeus, continuará a ser necessário >aguardar até 2019 para se ter o Model 3 deste lado do Atlântico... ou então optar por um >I-Pace da Jaguar. :) >> >> >> Aberto até de Madrugada »

  • Ensaio Tesla Model X 100D: luxúria elétrica

    16 Junho 2018 >/>>Não há volta a dar: os modelos elétricos da Tesla são terrivelmente desejáveis e para mim que sempre respirei gases de escape, é quase uma heresia dizer isto. Mas... pecador me confesso! >/>[quote align="right" color="#999999"]Adorei o Model X! Não tenho problemas nenhuns em o dizer. Porém... o carro é brutalmente caro – sem extras fica por 115.450 euros! É verdade que o equipamento é completo e o fator “wow” oferecido pelas portas traseiras é imbatível. A autonomia é de 418 km e apenas o facto de não ser possível chegar á estação de serviço e atestar a bateria em cinco minutos causa algum constrangimento.[/quote] Elon Musk é um visionário que entre enviar foguetões para a atmosfera e cavar buracos gigantescos na terra, decidiu agitar o segmento de luxo com uma proposta elétrica que nasceu sob a forma de uma berlina de topo com estilo delicioso e muita tecnologia. Com a defesa do ambiente e dos ursos polares como ponta de lança neste ataque ao segmento Premium, Musk lá conseguiu levar a água ao seu moinho. Porém, a coisa não corre lá muito bem com o amontoar de divida e os atrasos na produção do Model 3, essencial para conquistar mercado e gerar, finalmente, lucro. Já consolidado dentro da gama Tesla, o Model X é um SUV sui-generis capaz de levar cinco, seis ou sete pessoas, duas bagageiras – a ausência de motor e a colocação das baterias no fundo do chassis – que na configuração de cinco lugares é capaz de albergar 2492 litros de capacidade, e portas traseiras do tipo gaivota com dobradiças que permitem abri-las em espaços curtos e, reconheço, dá muito nas vistas em qualquer lado. Todos os bancos são individuais com as filas da frente e do centro com regulação elétrica. Curiosa é a forma como, por exemplo, os bancos rebatem. Um pequeno botão muito bem disfarçado no ombro do banco permite essa ação na fila central e na traseira. Inexplicavelmente, onde existe tanta eletrónica temos de empurrar os bancos para baixo, manualmente! Nos rivais convencionais, esta operação é feita de forma elétrica. O espaço disponível é aceitável em todas as filas de bancos, com destaque para a terceira fila a ter mais constrangimentos, nomeadamente, na altura ao tejadilho com os mais altos a poderem bater com a cabeça no óculo traseiro. Sim, é verdade, adultos cabem na terceira fila de bancos! >Veja quanto é que lhe pode custar este Tesla Model X 100D >[xyz-ihs snippet="Simulador Cetelem v2"] A acessibilidade é, como se podia esperar, fácil graças às referidas asas de gaivota ou, como as denomina a Tesla, portas de falcão. Isto porque abrem para cima, mas depois dobram-se sobre elas mesmas à altura da superfície vidrada para reduzir o espaço necessário para as abrir. Contas feitas, são necessários menos de 30 centímetros de lado para abrirem graças ás tais dobradiças inteligentes. Depois de abertas, a acessibilidade é excelente e apertar uma criança numa cadeirinha fica ainda mais fácil devido ao recorte no tejadilho. Pena que sejam tão pesadas, por questões de segurança, sejam lentas a abrir e fechar e corrermos o risco de apanhar um belo duche se estiver a chover com intensidade. Olhando para o interior, a falta de dimensão das bolsas das portas é compensada por espaços de arrumação na consola central, um razoável porta luvas e um enorme alçapão por baixo da referida consola. Não faltam tomadas USB, porta copos, enfim, aquilo que nos EUA é essencial e começa a ser exigido deste lado do lago. Atrás, as portas não têm bolsas, o que se percebe, pois, devido á abertura das portas a queda de os objetos é óbvia. Se precisar de mais espaço, há que rebater os bancos da fila central e avança-los para junto dos bancos da frente, através de um comando elétrico situado na parte das regulações acedidas pelo enorme ecrã do painel de instrumentos. >/>Aliás, este ecrã de 17 polegadas domina o interior do Model X, tal como sucede em outros modelos da Tesla. E tudo é controlado através deste ecrã gigante, desde a climatização à suspensão, à abertura das portas, iluminação, sistema de som, navegação, enfim, tudo é controlado neste enorme ecrã sensível ao toque e capacitivo. Naturalmente que sendo assim, não é fácil decorar tudo, mas a verdade é que os menus são fáceis de interagir quando estamos parados. Em andamento nem por isso, mas também aconselho, vivamente, a deixar alguns ajustes mais complicados para quem vai ao nosso lado. Lá está o bom é ótimo é inimigo do bom e não fazia mal nenhum existirem alguns botões físicos para ajudar o utilizador. O ecrã que funciona como painel de instrumentos, oferece muita informação – até a distância do carro aos obstáculos em centímetros! ou até o número de carros que está á nossa frente – tem uma excelente lisibilidade e tem grafismos que deixam qualquer um impressionado pelo detalhe e qualidade (o desenho animado do Tesla Model X é brilhante e permite-nos perceber o que está á nossa volta). Como sucede no Model S, a posição de condução no Model X é facilmente encontrada e, como não poderia deixar de ser, elevada. O ajuste de banco e volante é amplo e por isso ninguém terá dificuldades em encontrar a forma mais confortável de conduzir o Model X. O banco é confortável e amplo, como sucede com os restantes bancos, pelo que o interior do Model X é muito confortável e consegue-se cumprir muitos quilómetros sem causar fadiga. Infelizmente, a Tesla descura alguns detalhes e se os materiais não desiludem num carro deste preço, a qualidade da montagem não é brilhante e o Model X com um interior tão amplo e com um parabrisas enorme que se prolonga para o tejadilho, faz alguns ruídos que não eram esperados. E para terminar, não deixar de lado a consola central, demasiado modesta para um automóvel deste valor. >/>Colocado em marcha, o Model X é simples de utilizar como todos os modelos elétricos. Acionada a alavanca (a mesma dos Mercedes) da caixa de relação única, o Model X avança suavemente sem hesitações apesar dos 2460 quilogramas que o carro pesa. Porém, não há que temer pois os 423 CV e os 660 Nm de binário, disponíveis imediatamente, permite que ao pisar no acelerador o Tesla salte para a frente e chegue aos 100 km/h em 4,9 segundos! A travagem quase não é chamada para este jogo, pois a regeneração de energia é tão forte que levantar o pé do acelerador lançado a 150 km/h, tem o efeito de um paraquedas! A desaceleração é absolutamente impressionante! Pode alterar isso nas definições do carro, mas acho que a melhor forma é mesmo esta porque poupa, muito, os travões. Claro que se for uma situação que o incomoda na condução, pode desligar esta mais valia e o carro desacelera normalmente e terá de usar bem mais os travões. O facto das baterias estarem no piso do carro, concentra o peso todo numa zona inferior. Por essa razão e apesar da altura do carro e do peso, o Model X controla bem os movimentos da carroçaria e graças à suspensão pneumática, o comportamento é muito bom para o tipo de veículo, curvando de forma neutra e sem que tenhamos a sensação de estar num SUV. Os pneus muito largos ajudam, e de que maneira, a frente a inserir-se facilmente e a aderência lateral é grande, mas o Model X não consegue ser tão divertido como, por exemplo um Cayenne. Ainda assim, um excelente comportamento para o Model X. >/>O conforto é, talvez, o maior problema do Model X. Os bancos são muito confortáveis e em autoestrada, o Tesla é um verdadeiro regalo. Quando enfrentamos estradas mais degradadas, as jantes de 21 polegadas com pneus de baixo perfil e largura generosa juntamente com a suspensão que controla os movimentos da carroçaria, apresenta a fatura e o conforto ressente-se. Surgem os barulhos parasitas e parece que estamos num carro uns segmentos abaixo. >Veredicto Adorei o Model X! Não tenho problemas nenhuns em o dizer. Porém... o carro é brutalmente caro – sem extras fica por 115.450 euros! É verdade que o equipamento é muito completo e o fator “wow” oferecido pelas portas traseiras é imbatível. Em termos fiscais, uma empresa recupera o IVA e há várias benesses fiscais. A autonomia é brutal com 418 km – consegui bem mais que isso graças á regeneração do modelo, a rondar os 550 km – e apenas o facto de não ser possível chegar á estação de serviço e atestar a bateria em cinco minutos (meia hora é o mínimo) causa algum constrangimento. Quanto á fiabilidade do Model X, não há dados seguros, mas seja como for há uma garantia de 4 anos limitada a 80 mil quilómetros, enquanto o motor e a bateria estão protegidos por uma garantia de 8 anos sem limite de quilómetros. Se quiser comprar um Tesla Model X 100D com tração integral, pode escolher o prazo de pagamento (48 meses, 60 meses, 72 meses ou 84 meses) e pagar entre 1.948 (48 meses) e 1.169 euros (84 meses) com uma entrada de 29.108 euros. >FICHA TÉCNICA >Tesla Model X 100D Motor dois motores elétricos; Cilindrada (cm3) NA; Diâmetro x curso (mm) NA; Taxa compressão NA; Potência máxima (cv/rpm) 423; Binário máximo (Nm/rpm) 660; Transmissão e direcção Tração integral, caixa automática de 1 vel.; direção de pinhão e cremalheira, com assistência elétrica; Suspensão (fr/tr) Independente triângulos sobrepostos; eixo traseiro multibraços; Dimensões e pesos (mm) Comp./largura/altura 5050/2007/1676; distância entre eixos 2972; largura de vias (fr/tr) 1702/1727; travões fr/tr. Discos vent.; Peso (kg) 2460; Capacidade da bagageira (l) 2492; Depósito de combustível (l) bateria de 100 kWh; Pneus (fr/tr) 275/45 R20; Prestações e consumos aceleração 0-100 km/h (s) 4,9; velocidade máxima (km/h) 249; Autonomia (km) 418 km; emissões de CO2 (g/km) 0; Preço da versão ensaiada (Euros) 115.450 [gallery type="slideshow" size="full" ids="104231,104232,104233,104229,104230"] Automonitor »

  • Nissan lança correção de software para LEAF de 30 kWh para "aumentar" a vida da bateria

    15 Junho 2018 A atualização de software, que altera a forma como é calculada a autonomia e a capacidade da bateria do Nissan LEAF, também já está disponível em Portugal e promete mostrar a verdadeira degradação da capacidade da bateria deste elétrico/> Exame Informática »

  • Estamos todos com a selecção

    15 Junho 2018 Um bom arranque com os espanhóis poderá constituir uma excelente alavanca para o resto do Campeonato. Renascença »

  • Salão Automóvel do Porto: 2.ª parte acontece este fim de semana

    14 Junho 2018 >/>Depois de um primeiro fim de semana em que recebeu a visita de 15 mil pessoas, o Salão Automóvel do Porto promete novas emoções com uma segunda parte já este fim de semana, dias 16 e 17 de junho. >/> Os carros elétricos são um dos grandes atrativos desta 4.ª edição do certame, com o futurista modelo X da Tesla e o novo BMW i8 no centro de todas as atenções. O CEIIA - Centro de Excelência para a Inovação da Indústria Automóvel apresenta também o BUDDY, veículo elétrico conduzido por Matt Damon no filme "Pequena grande vida". Os amantes das quatro rodas também poderão encontrar alguns dos modelos topo de gama do mercado, como o Honda Civic Type R #18 Tiago Monteiro, uma edição limitada de 18 unidades, o Porsche 911 GT3 RS ou o BMW MS Berlina. O evento é também uma oportunidade para conseguir bons negócios, havendo uma larga oferta de seminovos e de campanhas exclusivas. A pensar em toda a família, o Salão conta este ano com uma área dedicada aos mais pequenos: no AUTO Kids, Renato Pita, piloto português que compete no circuito internacional de ralis, ensina as principais regras de segurança na estrada, num percurso com carrinhos a pedal. Há ainda espaço para os mais novos se divertirem enquanto os pais visitam as novidades do Salão, com pipocas, insufláveis e balões. >/> "Pela primeira vez dividimos o evento em dois fins-de-semana, numa clara aposta no segmento familiar. As crianças vibram muito com carros, muitas delas reconhecem logo as marcas e até os últimos modelos. A pensar nestes pequenos futuros condutores, agregamos uma vertente lúdico-pedagógica de sensibilização para a segurança rodoviária e estamos a receber também visitas de escolas, algo que é novo nesta edição", para Filipe Gomes, diretor da feira. Os bilhetes podem ser adquiridos online (preço promocional de 3,00€) ou na bilheteira do evento (4,00 €). Há um bilhete promocional para famílias (dois adultos e menores de 16 anos) por 5,00 €. Automonitor »

  • Tesla vai despedir 9% dos funcionários para salvar empresa

    14 Junho 2018 >/>Elon Musk revelou esta semana, numa carta enviada aos trabalhadores da Tesla, que 9% dentre eles serão despedidos em breve por forma a reduzir custos e salvar a empresa. >/> O CEO da Tesla revelou no entanto que no setor da produção não haverá qualquer corte, podendo a produção do Model 3 prosseguir sem sobressaltos - o mais recente objetivo é chegar às 5 mil unidades produzidas por semana até final deste mês. "Uma vez que a empresa nunca deu lucro (em 15 anos), também não é o lucro que nos motiva! A missão da empresa é acelerar a transição do mundo para a energia limpa e sustentável, contudo nunca completaremos essa missão se não demonstrarmos que podemos ter lucros sustentáveis", pode ler-se na missiva que Musk enviou aos seus funcionários e partilhou na sua conta do Twitter. No seguimento destas declarações, as ações da Tesla valorizaram 2,5%, valendo agora 341,28 dólares. ? [embed]https://twitter.com/elonmusk/status/1006597562156003328[/embed] Automonitor »

  • Vivo NEX chega com ecrã full-screen sem notch

    13 Junho 2018 >/>Depois da desilusão da Lenovo ao revelar que afinal o seu >Z5 tinha um ecrã com notch, eis que a Vivo faz o correcto e apresenta-nos o NEX com ecrã full-screen e sem recorte.>É certo que este NEX da Vivo, o modelo final do >protótipo Vivo Apex revelado no início do ano, ainda tem uma margem inferior ligeiramente maior que a dos restantes lados, mas é mais pequena que a dos restantes equipamentos no mercado (como o Mi Mix 2S) e que também dispensa o recorte do ecrã no topo - como fazem alguns fabricantes, que optam pelo recorte e pela margem inferior mais pronunciada. Isto faz com que o NEX atinja os 91.24% de área de ecrã frontal.>/>>/>Este ecrã?Ultra FullView Display de 6.59" tem uma resolução de 2316x1080 pixeis e um formato de 19.3:9 e, mais importante, integra o sensor de impressões digitais directamente no ecrã - a par de um sistema de som que troca o alto-falante por vibrações produzidas directamente pelo ecrã. O CPU fica a cargo de um Snapdragon 845, com 8GB de RAM e 128GB ou 256GB? de capacidade. A câmara fica-se pelos 12MP na parte traseira, enquanto a câmara frontal de 5MP fica instalado num módulo pop-up, que podemos levantar apenas quando a quisermos utilizar. A bateria é de 4000mAh com carregamento rápido de 22.5W, e o sistema é o Funtouch OS 4.0, baseado no Android 8.1. Temos também um botão lateral dedicado ao assistente digital da marca, o Jovi.Na China, este Vivo NEX vai custar 598 euros para a versão de 8GB+128GB, e 664 euros para a versão de 8GB+256GB. E agora, será apenas uma questão de tempo até que todos os fabricantes comecem a adoptar ecrãs full-screen sem notch. >> >> >> Aberto até de Madrugada »