• Um iPhone X, um PES e o adeus à Cassini

    16 Setembro 2017 O PES deu novo pontapé de saída; e o iPhone X também. Na Madeira, há uma viagem em carro elétrico que dá que falar, enquanto na Casa Branca a Kaspersky tornou-se marca a evitar. A Cassini disse adeus. Tudo para ler na Exame Informática Semanal/> Exame Informática »

  • Kia Stonic não terá versão elétrica

    16 Setembro 2017 >/>O SUV subcompacto Kia Stonic (foto) não terá versão elétrica, garantiu o Chief Operating Officer da marca para a Europa. /> Michael Cole explicou que o Stonic é um modelo de conquista para a marca e que estará disponível apenas com uma gama de três motorizações gasolina e uma diesel. Também não terá versões de tração integral. Na gama Kia, já existem versões elétricas dos crossovers subcompactos Soul e Niro (foto). /> O Stonic vai concorrer no segmento dos mini SUV B com o campeão Renaull Captur, com o Peugeot 2008 e o Nissan Juke e com o seu gémeo Hyundai Koba/Kauai. O segmento vale hoje cerca de 1 milhão de unidades/ano na Europa e deverá duplicar até 2020, atingindo 10% de quota do mercado automóvel da região. SEAT Arona, Skoda Karoq, VW T-Cross são outros concorrentes com chegada anunciada nos próximos meses. A Kia confirmou, entretanto, que irá manter a produção do mini SUV Venga, que vende entre as 22 e as 28 mil unidades por ano, na Europa. “Ainda não decidimos se substituiremos ou não o atual modelo, pois tudo dependerá de como evoluir o segmento dos mini SUV A”, garante Cole. Automonitor »

  • Hyundai Kauai 100% elétrico chega em 2018

    15 Setembro 2017 >/>A Hyundai vai revelar no próximo Salão de Genebra, em março, uma versão 100% elétrica do seu mini SUV Kona/Kauai. /> O novo modelo será lançado na primeira metade do próximo ano e estreará um motor elétrico diferente do usado atualmente no Ioniq e um pack de baterias com mais capacidade, que lhe garantirá uma autonomia de 390 quilómetros, revelou o CEO da Hyundai Europe, Thomas Schmid, no Salão Automóvel de Frankfurt, Até 2020, a gama Hyundai passará a incluir 15 modelos 100% elétricos, híbridos, híbridos recarregáveis (plug-in) e fuel cells, dos quais 10 estarão disponíveis na Europa, acrescentou o presidente europeu da marca, Hyung Cheong Kim. Os planos de eletrificação incluem o lançamento, na próxima primavera, de um SUV Fuell cell de próxima geração, com uma autonomia anunciada de 800 quilómetros. O Kona/Kauai, que está a ser oficialmente apresentado ao público em Frankfurt, está disponível com motorizações gasolina de 1.0 e 1,6 litros, a que se juntarão um 1.6 diesel, na primavera, e o futuro 100% elétrico. A marca coreana colocou os veículos elétricos no centro da sua estratégia de produto e está a desenvolver uma plataforma dedicada a este tipo de propulsão, que lhe permitirá lançar uma gama de múltiplos modelos com grandes autonomias Automonitor »

  • Opel confirma eletrificação da sua gama de automóveis

    15 Setembro 2017 A Opel confirmou em Frankfurt o seu segundo automóvel com motorização híbrida plug-in. Depois do revolucionário mas incompreendido em território europeu Ampera lançado em 2011, o novo SUV Grandland X será o segundo modelo da marca alemã a dispôr de uma solução de propulsão desta natureza. Mais para a frente será a vez do Ampera-e, automóvel desenvolvido com a grande responsabilidade de rivalizar com o Tesla Model 3.   Mais Tecnologia »

  • Toyota vai lançar gama de híbridos desportivos

    15 Setembro 2017 >/>A Toyota vai criar uma gama desportiva de modelos híbridos que coexistirá em paralelo com os modelos híbridos da sua própria marca. /> “Continuaremos a oferecer os benefícios tradicionais de eficiência e de economia de combustível dos motores híbridos eletricidade-gasolina naa nossas atuais gamas e teremos uma segunda gama de modelos com mais potência e um carácter desportivo mais acentuado”, explicou à Reuters, o CEO da Toyota na Europa, Johan van Zyl, à margem do Salão de Franfkurt. /> O concept C-HR Hy-Power, que a marca japonesa tem exposto no certame alemão, é um primeiro exemplo desta nova gama de modelos híbridos de alta performance, sobre os quais a Toyota promete mais informações para o início do próximo ano, provavelmente no decurso do Salão de Genebra. A Toyota vai também simplificar a sua gama de motorizações, passando a dispor de mais soluções híbridas e de menos ofertas diesel, adiantou o diretor europeu de desenvolvimento, Gerald Killmann. /> “O Auris tem atualmente dois motores gasolina, dois diesel e um híbrido, mas este último representa 60% das vendas. Será que precisamos mesmo de tantas opções, ou poderemos substituir alguns por um segundo motor híbrido?”, questionou. O grupo Toyota deverá ultrapassar este ano um milhão de unidades vendidas na Europa, se incluirmos a marca premium Lexus, devido sobretudo ao sucesso do recém-lançando SUV compacto C-HR e da forte progressão nas vendas de híbridos, que deverão crescer mais de 50% face aos números do ano pasado “Os híbridos representam hoje mais de 40% das nossas vendas na Europa e quase 50% na Europa ocidental” explica Van Zyl. Em 2020, a marca prevê que um em dois dos carros que vende na Europa serão híbridos. ? Automonitor »

  • Opel aposta no branded content para lançar Crossland X

    15 Setembro 2017 >/>Conhecer as melhores praias selvagens de Portugal a bordo de um Opel Crossland X é o projeto de branded contexto que a marca alemã fechou com os canais Fox e Fox Life, que se prolonga por seis episódios de um minuto, protagonizados pelos autores do blogue Uma Vez sem Exemplo, Zé e Mariana. /> A visita a seis praias secretas da costa portuguesa é o pretexto para fazer sobressair as características do novo mini SUV da Opel, que chegou ao mercado no final do mês passado. /> Trata-se de um projeto desenvolvido em parceira pela Fox Media, unidade comercial da Fox Networks Group, e pela agência de meios Carat. /> ? ? Automonitor »

  • Skoda vai lançar 5 novos modelos 100% elétricos

    14 Setembro 2017 >/>A Skoda vai lançar cinco novos modelos 100% elétricos até 2025, que completarão a sua gama de híbridos plug-in, confirmou a marca checa, no decurso do Salão de Frankfurt. A partir desse ano, um em cada quatro carros vendidos pela marca em todo o mundo será um híbrido plug-in ou totalmente elétrico. /> "Um dos quatro pilares da nossa Estratégia 2025 é a eletrificação de nossa gama de produtos. O Skoda Superb com unidade híbrida plug-in será lançado já em 2019. Depois, em 2020, este será seguido pelo nosso primeiro modelo totalmente elétrico, no qual oferecemos uma visão muito concreta nesta edição do Salão de Frankfurt com o Skoda Vision E (foto)", disse o CEO da ŠKODA, Bernhard Maier. A Skoda está a desenvolver os seus próprios conceitos de veículos para mobilidade inteiramente elétrica com base na plataforma modular MBE, que o Grupo Volkswagen criou para os seus futuros automóveis elétricos, e em paralelo com a implementação de níveis adicionais de condução autónoma na produção. Automonitor »

  • Chery revela nova marca para a Europa com o SUV Exeed TX

    14 Setembro 2017 >/>A Chery revelou no Salão de Frankfurt a sua nova marca Exeed para conquistar a Europa e o seu primeiro modelo: o SUV TX. >/> Desenvolvido com base numa nova plataforma que a fabricante descreve como de alta qualidade - já que pode acomodar tanto modelos mais tradicionais com motor de combustão interna como híbridos e elétricos - o Exeed TX será comercializado no continente europeu em três versões elétricas: 100% elétrico, híbrido e híbrido plug-in. >/> Será esta última variante a primeira a chegar às estradas da Europa: um híbrido plug-in com motor de combustão de 1.5 litros de 110 kW (150 CV), motor elétrico de 85 kW (115 CV) e caixa automática de 7 velocidades. O que lhe permitirá ir dos 0 aos 100 km/h em 6 segundos e atingir uma velocidade máxima de 200 km/h. >/> As baterias de iões de lítio permitirão uma autonomia até 70 quilómetros em modo elétrico totalmente elétrico e uma velocidade máxima de 120 km/h. As baterias poderão ser recarregadas até 80% da sua capacidade em 30 minutos com um sistema de recarregamento rápido - 4 horas para carga completa numa tomada convencional. >/> No interior, iluminação ambiente LED , ecrã de 10 polegadas na consola central, sistema de infoentretenimento com comandos de voz e diversas funções de conectividade. >/> A marca escusou-se, no entanto, a revelar a data de chegada ao mercado. [gallery type="slideshow" size="full" ids="85004,85008,85012,85013,85005,85006,85009"] Automonitor »

  • Kia revela Proceed Concept em Frankfurt

    13 Setembro 2017 >/>A Kia revelou o Proceed Concept no Salão de Frankfurt: um protótipo que antecipa uma carrinha - mais exatamente um  extended hot hatch - da próxima geração Ceed. >/> Desenhado em Frankfurt, na sede europeia da marca, o novo Proceed Concept dispensa o pilar B e puxadores das portas num design batizado ‘Sharkblade’. Pintado em Lava Red, o protótipo da Kia conta com entradas de ar proeminentes, jantes de 20 polegadas, aplicações em fibra de carbono e teto panorâmico em vidro. >/> No interior, acabamentos em tecido cetim feitos à mão e alumínio - os botões, por exemplo, da consola central. >/> [gallery type="slideshow" size="full" ids="84870,84872,84871,84869,84868,84866"] Automonitor »

  • Audi apresenta novo RS4 Avant em Frankfurt

    13 Setembro 2017 >/>A Audi apresentou o seu novo RS4 Avant no Salão de Frankfurt, na Alemanha, que estará  disponível no outono - as primeiras unidades deverão chegar ao mercado depois do verão de 2018. >/> O novo RS4 Avant conta com um V6 TFSI biturbo de 2.9 litros com caixa automática de 8 velocidades que debita uma potência de 450 CV e 600 Nm de binário. A aceleração dos 0 aos 100 km/h faz-se em 4,1 segundos e a velocidade máxima é limitada eletronicamente a 250 km/h para a versão de entrada, mas com o RS Dynamic Package aumenta para 280 km/h. >/> Equipado com suspensão desportiva e 7 mm mais baixo do que o A4 convencional com suspensão desportiva, o novo modelo da Audi conta com sistema Dynamic Ride Control, travões carbocerâmicos, direção dinâmica RS e Audi Drive Select de série. >/> [gallery type="slideshow" size="full" ids="84817,84816,84815,84818,84819,84820,84821,84822,84825,84824,84828,84832"] Automonitor »

  • BMW iVision Dynamic Concept antecipa (provável) i5

    13 Setembro 2017 >/>A BMW revelou o seu novo iVision Dynamic Concept em Frankfurt que antecipa um gran coupé a meio caminho entre o i3 e o desportivo i8, possivelmente designado de i5. >/> Com uma capacidade de aceleração de 0 a 100 km/h em menos de 4 segundos e uma velocidade máxima de 200 km/h, o iVision Dynamic Concept conta com uma autonomia a rondar os 600 quilómetros, graças ao recurso a um novo sistema de baterias com maior densidade (de 5ª geração). >/> Com grelha proeminente - mas apenas decorativa - e faróis em LED de formato afilado, o protótipo elétrico da BMW substituiu os espelhos retrovisores tradicionais por câmaras. Na traseira, destacam-se os farolins finos em LED, sendo de realçar a importância que a marca alemã dá à iluminação. >/> [gallery type="slideshow" size="full" ids="84808,84811,84806,84805,84804,84803,84802"] ? Automonitor »

  • VW T-Roc ganha versão desportiva R-Line

    13 Setembro 2017 >/>A versão R-Line do novo VW T-ROC é uma das novidades que a marca alemã trouxe ao Salão de Frankfurt. /> Trata-se da variante de topo de gama e mais desportiva do novo SUV compacto da VW e que se distingue exteriormente, como as versões R-Line dos restantes modelos da marca, pelo seus para-choques com um design mais robusto, pelos vidros escurecidos, pelos logótipos R-Line em diversos locais da carroçaria e do habitáculo e pelo seu equipamento exclusivo. /> Na parte frontal e na traseira, a proteção metálica inferior troca o preto normal nas restantes versões e e passa a ser da cor da carroçaria. A grelha inferior é também exclusiva, com grandes lâminas horizontais e ganha uma moldura metálica. Na traseira há um novo difusor. A opção pelo tejadilho preto e as jantes são já conhecidas de outras versões do T-ROC. /> No interior há pequenas alterações estéticas e muito mais equipamento, como o volante desportivo revestido em pele, acabamentos em duplo tom, bancos em tecido e pele sintética e pedais em aço inoxidável. /> O nível R-Line deverá ficar associado às motorizações mais potentes. A gama T-ROC dispõe de 6 opções mecânicas, 3 gasolina e 3 diesel, com potências entre los 115 CV e los 190 CV, que podem ser associadas à caixa manual de 6 velocidades ou à automática DSG. Automonitor »

  • O novo iPhone X tem mais ecrã, menos botões e reconhece o dono

    12 Setembro 2017 Apple apresentou três novos modelos. O topo de gama deixou de ter botão e vai custar 1179 euros./> Público »

  • Futuro autónomo e elétrico da Audi chama-se Aicon Concept

    12 Setembro 2017 >/>A Audi revelou no Salão de Frankfurt aquele que personalizará melhor o seu futuro elétrico e autónomo: o Aicon Concept. >/> Tendo 5,44 metros de comprimento, 3,47 metros de distâncias entre-eixos e 1,50 metros de altura – é, portanto, ainda maior que o luxuoso A8 - o Aicon Concept tem como base a plataforma MEB, a mesma utilizada pela Volkswagen para a sua gama de elétricos. >/> Quatro motores elétricos (um para cada roda) garantem uma autonomia estimada em 800 km com uma única carga e uma potência a rondar os 350 CV. Com jantes de 26 polegadas e um visual agressivo, o Aicon tem ecrãs totalmente digitais que formam um padrão pixelizado triangular 3D em vez dos convencionais faróis. >/> No interior, muito espaço: os bancos podem rodar até 15 graus e avançar ou recuar até 50 cm - o facto de não ter pedais nem volante contribui para facilitar a interação entre os ocupantes. Beneficiando do facto de ser elétrico, possui capacidade combinada para levar 660 litros de bagagem, entre o espaço à frente e atrás. [gallery type="slideshow" size="full" ids="84767,84765,84764,84763,84762,84757,84758,84759,84760,84761,84756"] Automonitor »

  • CEO Michael Lohscheller anuncia o 1º híbrido plug-in da Opel

    12 Setembro 2017 >/>O Chief Executive Officer (CEO) da Opel, Michael Lohscheller, presidiu à abertura do ‘stand’ da marca no Salão de Frankfurt com uma conferência de imprensa que contou com a presença do CEO do Groupe PSA, Carlos Tavares. Perante centenas de jornalistas de todo o mundo, Lohscheller revelou a principal estreia mundial da Opel neste certame, o SUV Grandland X, e anunciou que este será o primeiro modelo da marca a ter uma versão com motorização híbrida ‘plug-in’. O CEO da Opel indicou também que a gama Grandland X receberá em breve um novo motor Diesel topo de gama e uma transmissão automática de oito velocidades. >/> «O nosso novo Grandland X em versão híbrida ‘plug-in’ constitui um excelente exemplo das oportunidades que nos esperam como membros do grupo PSA», afirmou Michael Lohscheller na conferência de imprensa. «Vamos manter-nos neste caminho», completou. Outro modelo a ocupar o centro do palco da Opel em Frankfurt é o Opel Insignia. O dinâmico GSi dá continuidade à longa tradição da Opel em berlinas desportivas, ao mesmo tempo que a variante Country Tourer se revela na qualidade de nova opção para quem procura uma ‘station wagon’ de espírito aventureiro. «Com estas três estreias mundiais, damos continuidade à fase mais intensa de lançamentos da história da nossa marca. Este ano acrescentámos modelos decisivos à nossa gama, como o elétrico Ampera-e, o ‘crossover’ Crossland X, o furgão especial Vívaro Life e o SUV Grandland X», explicou Michael Lohscheller em Frankfurt. «Todos nós, na Opel, estamos orgulhosos de pertencer agora ao Groupe PSA. Juntos, vamos criar um ‘champion’ europeu. E vamos fazê-lo continuando a tornar tecnologia ‘made in Germany’ acessível ao maior número de pessoas, fiéis à nossa assinatura de marca ‘ o futuro é de todos’». >/> Opel Grandland X: SUV compacto dinâmico num mercado em expansão O novo Opel Grandland X faz a síntese da elegância e do espírito de aventura, através de linhas dinâmicas, aparência moderna ‘off-road’, posição elevada dos bancos característica de um SUV e múltiplas tecnologias avançadas de segurança e conforto. O novo Opel oferece ainda um habitáculo muito espaçoso e bagageira de grande capacidade. São estes argumentos que fazem do Grandland X uma proposta especialmente competitiva no segmento dos SUV compactos. A estratégia da Opel é colocar o novo modelo no mercado com uma relação preço-desempenho especialmente atrativa. Prova disso é a lista completa de tecnologias que fazem parte do equipamento de série, nomeadamente de sistemas avançados de apoio à condução como o Alerta de Saída de Faixa, Reconhecimento de Sinais de Trânsito, Programador de Velocidade inteligente, Assistência ao Arranque em Planos Inclinados e infoentretenimento IntelliLink com múltiplas funções, para citar apenas alguns exemplos. O sistema eletrónico de controlo de tração IntelliGrip maximiza a aderência das rodas motrizes independentemente das condições do piso, seja em neve, lama, areia ou alcatrão molhado. Importante equipamento de conforto são os bancos ergonómicos certificados pela agência alemã de especialistas AGR. E no inverno torna-se especialmente útil o aquecimento do volante e dos bancos dianteiros e traseiros. O espaço a bordo ganha com a longa distância entre eixos, que faculta cinco lugares confortáveis e uma grande bagageira com capacidade que vai de 514 a 1652 litros. Neste domínio, o novo SUV da Opel rivaliza com as ‘station wagon’ compactas com as maiores malas. O comando da tampa é elétrico e pode ter sensor de pé para abrir e fechar automaticamente. Tal como em todos os Opel, o Grandland X está equipado com sistemas avançados de informação e entretenimento, compatíveis com Android Auto e Apple CarPlay para integrarem funções de dispositivos móveis que lhes sejam ligados. Registe-se que o sistema de apoio em viagem e em emergência Opel OnStar faculta um ‘hotspot’ 4G de ligação à Internet e passou a oferecer os novos serviços de ‘assistente pessoal’ de procura de estacionamento e reserva de hotéis. O novo Grandland X representa uma forte aposta da Opel no segmento dos SUV compactos, cuja influência na classe dos automóveis compactos cresceu de sete por cento no ano de 2010 para uns muito expressivos 20 por cento registados atualmente. O novo Grandland X é o terceiro modelo da linha X da Opel, juntando-se ao ‘bestseller’ Opel Mokka X e ao recém lançado Crossland X, que são ambos cerca de 20 centímetros mais curtos em comprimento. Simultaneamente, o Grandland X alarga ainda mais a variada oferta da Opel na popular classe dos automóveis compactos, do Astra ao Zafira. >/> ? Opel Insignia GSi: máximo desempenho, em berlina e ‘station wagon’ Mais preciso e mais eficiente. O novo Opel Insignia GSi - em formato berlina ou ‘station wagon’ - é a versão de elevadas ‘performances’ do novo topo de gama da Opel, dedicada quem sabe apreciar algo de especial. Com uma afinação de chassis orientada para a dinâmica, são múltiplos os pontos técnicos a merecerem destaque, desde os evoluídos motores até à mais recente tecnologia 4x4 com vectorização de binário. A transmissão conta também com uma nova caixa automática de oito velocidades que pode ser comandada manualmente a partir de patilhas colocadas no volante. O novo Insignia GSi oferece à escolha duas motorizações de topo, uma a gasolina e outra a gasóleo, ambas 2.0 sobrealimentadas. As versões GSi extrai todo o potencial das melhores características que marcam a nova geração Insignia, nomeadamente o peso reduzido e o baixo centro de gravidade. Assim, o Insignia GSi tem para oferecer uma ótima relação peso/potência e revela um excelente equilíbrio. Isso comprova-se no cronómetro. «O novo Insignia GSi com motor 2.0 Turbo a gasolina é claramente mais rápido numa volta ao Nürburgring-Nordschleife do que o anterior Insignia OPC, que era mais potente», revela o Diretor de Performance Cars e Motorsport da Opel, Volker Strycek, ele próprio um ex-piloto, campeão alemão de Turismos. Uma das razões para tal prende-se com o peso, visto que a berlina GSi é 160 kg mais leve do que o OPC com motor 2.8 V6 Turbo. O visual condiz com o desempenho. O para-choques dianteiro possui duas grandes entradas de ar e na tampa da mala surge um ‘spoiler’ de dimensões consideráveis, para gerar carga aerodinâmica adicional a velocidades elevadas. No habitáculo sobressaem bancos dianteiros de tipo ‘bacquet’ com certificação AGR, forrados a couro, que são exclusivos desta versão, e um volante com base plana ao qual foi acrescentado ‘grip’. >/> Opel Insignia Country Tourer: topo de gama com apelo ‘off-road’ A versão mais ‘aventureira’ do topo de gama da Opel está dotada de um sofisticado sistema de tração às quatro rodas e aparência inspirada no todo-o-terreno. Na essência, possui as mesmas qualidades do Grand Sport e do Sports Tourer. Criada com base na carroçaria ‘station wagon’, oferece muito espaço e menos peso por comparação com a anterior geração, graças a uma nova arquitetura. Fazendo jus à condição de topo de gama, o novo Insignia Country Tourer está equipado com tecnologia avançada que garante máximos níveis de conforto e de segurança. Contudo, apesar da sofisticação, está apetrechado para fazer frente a caminhos fora de estrada alcatroada, exibindo, com charme inegável, pormenores que conferem robustez adicional como as diferentes proteções de carroçaria a toda a volta. Os sistemas de transmissão contam, naturalmente, com a opção da avançada tração integral com vetorização de binário e da nova caixa automática de oito velocidades que já haviam sido anunciadas para as variantes Grand Sport e Sports Tourer. Na ótica da versatilidade, uma diferença a favor do Insignia Country Tourer é a altura ao solo aumentada em 20 milímetros, que, a par do sistema de tração às quatro rodas, permite enfrentar estradões de terra com particular à vontade. A transmissão do novo Country Tourer, com vetorização de binário, surge como a solução mais avançada neste segmento de mercado. >/> Tal como o Grand Sport e o Sports Tourer, o Country Tourer está equipado com numerosos sistemas avançados de segurança e conforto, onde se contam igualmente os faróis de matriz de LED IntelliLux, cada um formado agora por 16 elementos de LED. A nova geração Insignia disponibiliza ainda ‘head up display’ de projeção no para-brisas, câmara 360 graus de ajuda nas manobras, programador de velocidade adaptativo com travagem automática de emergência e câmara dianteira com sistema de manutenção de faixa de rodagem com correção automática de direção. Também no topo do que existe neste segmento estão os sistemas de informação e entretenimento IntelliLink, compatíveis com Apple CarPlay e Android Auto, bem como o sistema de assistência em viagem e em emergência Opel OnStar. Automonitor »

  • Hiperdesportivo AMG Project One (finalmente) revelado!

    12 Setembro 2017 >/>A Mercedes-AMG apresentou o Project One no Salão de Frankfurt: um hiperdesportivo de dois lugares que incorpora uma versão modificada do sistema propulsor utilizado num carro de Fórmula 1. >/> Contando com um V6 de 1.6 litros turbo (com quatro válvulas por cilindro) que debita mais de 680 CV de potência às 11 000 rpm, o Project One agrega ainda um conjunto de 4 motores elétricos  (163 CV cada um às 50.000 rpm)e uma caixa sequencial de 8 velocidades AMG Speedshift. No total, o hiperdesportivo construído em fibra de carbono debita mais de 1000 CV de potência, o que lhe permite uma aceleração dos 0 aos 200 km/h em 6 segundos e uma velocidade máxima superior a 350 km/h. >/> Com uma bateria de iões de lítio posicionada debaixo da carroçaria, o Project One conta com uma autonomia de 25 quilómetros, em tração dianteira, quando em modo totalmente elétrico. A produção do hiperdesportivo não irá além das 275 unidades, por um preço a rondar 2,27 milhões de euros cada. [gallery type="slideshow" size="full" ids="84606,84605,84602,84600,84599,84598,84597,84596"] Automonitor »

  • Mercedes-AMG revela teaser final do seu Project One

    11 Setembro 2017 >/>A poucas horas da apresentação oficial em Frankfurt, a Mercedes-AMG revelou o teaser final do seu hiperdesportivo  Project One. >/> Com uma motorização de tecnologia híbrida importada da Fórmula 1, o AMG Project One é um dos concept do portfolio de soluções eletrificadas que a Mercedes-Benz vai exibir em Frankfurt. O AMG Project One terá tração integral (com motor elétrico nas rodas da frente) aproveitando a casa de Affalterbach a tecnologia que ensaiou no SLS AMG Electric Drive. Tecnologia essa que permite repartir o binário seletivamente, sendo que o eixo da frente pode funcionar independentemente do resto do carro. No fundo é um sistema de vectorização de binário e que é chamado de “AMG Torque Dynamics”. >/> Automonitor »

  • Tesla desbloqueia baterias dos Model S e X para facilitar evacuações na Flórida

    10 Setembro 2017 >/>Para auxiliar os norte-americanos que tentam escapar das zonas de risco do furacão Irma, a Tesla está a desbloquear temporariamente o limite máximo das baterias dos automóveis nas zonas afectadas.>A medida é possível porque os Tesla que eram vendidos com capacidade de 60kW (os Model S 60/ S 60D e Model X 60 / X 60D) estão na realidade equipados com baterias de 75kW, com a capacidade inferior a ser limitada por software. Uma opção que facilitava logística de produção de baterias, e que também permite que os clientes possam >aceder à capacidade total da bateria se decidirem pagar por esse "extra" a qualquer momento.É precisamente isso que a Tesla tomou a iniciativa de fazer - temporariamente - para os possuidores destes Tesla na zona da Flórida, que está em risco de enfrentar um dos maiores furacões de sempre que tem causado enorme devastação por onde tem passado. Este >aumento da capacidade de bateria permite que os Tesla em questão possam prolongar a sua autonomia por mais 50 a 60km, o que poderá ser de importância crítica quando se trata de por o máximo de distância entre si e um furacão.... Só não convém é habituarem-se a esta autonomia alargada, pois a Tesla vai voltar a aplicar o limite dos 60kW assim que esta situação for ultrapassado. >> >> >> Aberto até de Madrugada »

  • GUIA SALÃO DE FRANKFURT: Tudo o que precisa de saber da edição deste ano!

    10 Setembro 2017 >/>Será já esta terça-feira, dia 12 de setembro, que o Salão de Frankfurt abrirá portas - primeiro apenas para a imprensa de todo o Mundo e, a partir de dia 16, para o público em geral. >/> Embora as ausências da edição deste ano tenham algum peso - Alfa Romeo, Alpine, Aston Martin,  Cadillac, Chevrolet, DS, Fiat, Infiniti, Jeep, Mitsubishi, Nissan, Peugeot, Rolls-Royce, Tesla, Volvo estão oficialmente fora por opção -, o Salão de Frankfurt não deixará de ter grandes pontos de interesse. O AUTOMONITOR compilou algum desses pontos e apresenta-lhe o que de melhor poderá ver no certame alemão. >/> >Aspark >/> Começamos com a japonesa Aspark que irá a Frankfurt com o seu hiperdesportivo elétrico de 1000 CV de potência: o Aspark Awl. >Alpina >/> Segue-se a Alpina e o seu mais recente modelo: o D5S, do qual ainda não existem detalhes. Espera-se, contudo, que o seu novo modelo de produção "encha as medidas" de todos os fãs de tuning - e não só. >Audi >/> A grande novidade da Audi para Frankfurt será a nova geração do A8 que será comercializado até final deste ano - na Alemanha, a berlina terá um preço de entrada a rondar os 90.600 euros ou os 94.100 se estiver a falar da variante A8 L. >/> Mas o construtor dos quatro anéis não ficará por aqui e promete muito mais: um SUV Coupé Concept, uma nova versão gasolina do crossover Q2, variantes a gás natural do A4 Avant g-tron e A5 Sportback g-tron, assim como um novo RS4 Avant. >Bentley >/> A Bentley irá propor o novo Continental GT ao lado de uma nova edição Mulsanne Design Series da Mulliner. Estas duas novidades serão acompanhadas por um outro modelo criado por Mulliner, um Flying Spur V8 S, bem como o Bentayga W12. >BMW >/> A construtora de Munique irá apresentar-se no certame com muitas novidades como o novo X3 ( já apresentado à imprensa), o novo M5, o Série 6 GT, o i3 e o i3S redesenhados, o i8 Spyder versão de produção e uma edição aniversário do Série 7. Sem esquecer nada menos que 4 protótipos: o Z4 (já revelado em Pebble Beach), o Série 8 (em Villa d'Este), o i5 e um iX7 iPerformance... >Borgward >/> Graças ao seu renascimento na China, o construtor alemão Borgward prepara o regresso à Europa com uma versão elétrica do SUV BX7, bem como um protótipo desportivo (elétrico) que provavelmente será nomeado de Isabella. >Brabus >/> A Brabus irá até ao certame germânico com duas propostas: um Rocket 900 Cabrio e um AMG E63 de 700 CV... >Chery >/> A chinesa Chery está empenhada em conquistar um lugar no mercado europeu e promete para Frankfurt a apresentação mundial do seu primeiro SUV: o M31T. >Citroën >/> Com a ausência da Peugeot e a DS, a Citroën (a par da Opel) será o único representante do grupo PSA presente em Frankfurt. São esperados o crossover compacto C3 Aircross, e o protótipo SpaceTourer RipCurl. >Dacia >/> A maior novidade desta marca no Salão de Frankfurt será a apresentação da segunda geração do Duster. >Ferrari >/> A Ferrari apresentará no certame o sucessor do California T e entrada de gama com 600 CV: o belíssimo Portofino. >Ford >/> A Ford mostrará pela primeira vez num salão europeu os novos Mustang, o SUV EcoSport, a pickup Ranger Black Edition e o Tourneo Custom. Sem esquecer o novo Fiesta em todas as variantes - clássica, ST-Line, Vignale e Active. >Honda >/> O construtor japonês promete apresentar o seu novo híbrido CR-V, a nova versão de 4 cilindros Diesel 1.6 i-DTEC do Civic e uma versão atualizada do Jazz. Ainda haverá espaço para o protótipo elétrico Urban EV em estreia mundial... >Hyundai >/> A empresa coreana aproveitará a visita a Frankfurt para apresentar o novo SUV urbano Kona (Kauai, se estivermos a falar no nome que terá em Portugal) e as várias versões do novo i30: o desportivo i30N e a berlina de 5 portas i30 Fastback. >Jaguar >/> O Jaguar XF Sportbrake fará sua primeira aparição pública em Frankfurt, mas deverá ser o crossover compacto E-Pace a chamar a si todas as atenções. Ou quiçá o protótipo Future-Type, que mais não é do que o futuro autónomo imaginado pela marca britânica. Há ainda a possibilidade de ver ao vivo os XJR 575 e XE SV Project 8... >Kia >/> Ao lado do Sorento e do Sportage, a Kia apresentará o (muito esperado) Stonic, o Picanto X-Line e o protótipo Proceed. >Lamborghini >/> A marca italiana chega à Alemanha para exibir o Aventador S Roadster: o único superdesportivo roadster a contar com um V12 central-traseiro capaz de debitar uma potência de 740 CV. >Lexus >/> ? A divisão de luxo da Toyota apresentará novas versões atualizadas dos seus NX e CT. >Lotus >/> A Lotus apresentará em Frankfurt aquele que é o seu modelo mais rápido de sempre: o Evora GT430 Sport. >Maserati >/> A única marca do grupo FCA presente no Salão germânico escolheu exibir a sua atualizada berlina Ghibli e as versões coupé e cabriolet do seu Gran Turismo. >Mazda >/> A grande atração da marca em Frankfurt não será a apresentação de nenhum novo modelo, mas a revelação de um novo tipo de motor: o Skyactiv com tecnologia HCCI (Homogeneous Charge Compression Ignition), um motor a gasolina que - simplificando - funciona como se se tratasse de um Diesel. >Mercedes-Benz >/> ? Talvez o Mercedes-Benz Classe G se perfile como o modelo mais aguardado da marca para Frankfurt. Ou então o hiperdesportivo Project One. Ou talvez seja o protótipo elétrico EQ A. >/> Mas não nos esqueçamos do protótipo Maybach 6 Cabrio, da pick-up Classe X, do GLC movido a células de combustível e das várias versões do Classe S (incluindo AMG). A jogar (quase) em casa, a fabricante de Estugarda aposta forte e não deixa os créditos por mãos alheias... >MINI >/> A MINI promete dois protótipos que prometem dar que falar: o desportivo JCW GP e um MINI elétrico - que deverão, a breve trecho, transformar-se em modelos de produção... >Opel >/> A nova marca a integrar o grupo PSA apresentará o novo Grandland X a par dos Insignia GSi, Sports Tourer e variantes do Vivaro. >Porsche >/> A Porsche levará até Frankfurt, em apresentação mundial, os novos Cayenne com 250 kW (340 Cv) e Cayenne S com 324 kW (440 Cv), assim como o novo GT2 RS. São esperados ainda o 718 Boxster GTS e o 911 Speedster. >Renault >/> O construtor francês promete revelar o seu novo Mégane RS com 300 CV e um protótipo futurista batizado Symbioz... >Rolls Royce >/> A Rolls Royce estará presente para exibir o já revelado novo Phantom, aquele que a marca apelida como o mais automóvel mais luxuoso do Mundo! >SEAT >/> A fabricante espanhola levará até ao certame alemão o seu novo SUV Arona e o (muito esperado) Leon Cupra R de 310 CV. >Škoda >/> A Skoda promete estrear o seu novo crossover Karoq, assim como o seu concept Vision-E já revelado no Salão de Xangai. >Smart >/> A smart promete um novo elétrico: o smart Vision EQ Fortwo (ainda) em forma de protótipo. >Ssangyong >/> A fabricante chinesa espera deslumbrar Frankfurt - e a Europa - com a apresentação do seu novo luxuoso SUV Rexton. >Subaru >/> A versão europeia do seu Impreza é o que propõe a nipónica Subaru para o Salão alemão. >Suzuki >/> O construtor japonês apresentará o novo Swift Sport, agora com motor 1.4 e ainda mais leve do que o anterior. >Toyota >/> A Toyota irá propor o novo Land Cruiser (que de elétrico não terá nada) e o protótipo C-HR Hy-Power que anuncia, de algum modo, a gama de híbridos para o futuro. >Volkswagen >/> ? Está prometida a apresentação da 6ª geração do Polo, mas não só: o SUV que será produzido na Autoeuropa, em Palmela, será certamente estrela maior no stand da Volkswagen: o T-Roc, a par do ID Crozz (revelado no Salão de Xangai), um SUV 100% elétrico. > Automonitor »

  • Ensaio Honda HR-V 1.6 i-DTEC: uma pena ser esquecido

    7 Setembro 2017 >/>>O AUTOMONITOR já ensaiou o HR-V, é verdade, mas também é verdade que o Honda é dos melhores modelos do segmento e tem andado “esquecido” ao longo destes dois anos. Por isso decidi voltar a pegar num e perceber se a minha ideia inicial continua a mesma, mais de dois anos depois da sua apresentação. >/>[quote align="right" color="#999999"]A verdade é que o Honda é um automóvel agradável à vista, eficaz, eficiente e surge muito bem equipado. Uma belíssima opção se quiser der diferente da multidão adepta do Qashqai e do CX-3.[/quote] Recordam-se do original? Não aquele de cinco portas, o primeiro com apenas três portas que parecia um carro normal arregaçado? O original HR-V, vejam lá, tinha como base o Logo, o citadino da Honda e tinha este nome – e isto é a Honda que conta no seu sítio oficial! – porque se chamava High-Rider Revolutionary Veihcle. O que isso queria dizer? Bom, nada! Era apenas uma forma de o destacar como membro da família SUV da Honda, nascida com o CR-V, um veículo que mantendo mais espaço para bagagem, posição de condução dominante e reduzidos consumos, tivesse maior maneabilidade que o CR-V. O modelo ficou conhecido, também, como “Joy Machine” forma de piscar o olho aos mais jovens. Nasceu em 1999, viveu até 2006 e em 2003 foi descontinuada a versão de três portas em favor da mais versátil de cinco portas. Era um carro moderno e à frente no seu tempo, pois tinha ABS, airbags, ESP, entre outras minudências. Nunca teve motor diesel e isso acabou por o “matar” no Velho Continente, tendo desaparecido do mercado há mais de uma década. >Veja quanto lhe pode custar este Honda HR-V 1.6 i-DTEC >[xyz-ihs snippet="Simulador Cetelem v2"] Hoje, o cada vez mais lucrativo segmento dos crossover foi irresistível e a Honda promoveu o ressuscitar do HR-V com um carro que, claramente, faz parte do grupo de modelos onde dominam o Nissan Juke e o Renault Captur. Porém, a Honda afirma, categoricamente, que quer roubar clientes ao segmento do Nissan Qashqai, Renault Kadjar, Mitsubishi ASX, Opel Mokka e Mazda CX-3. Tem argumentos para isso? Bom, o HR-V não é um carro novo, pois foi apresentado como protótipo em 2014 em Nova York e na versão de produção no Salão de Los Angeles. Tem como base o Jazz e chegou primeiro aos Estados Unidos e depois ao Velho Continente. No seu regresso, o HR-V é, no papel, um carro promissor. Muito! >/>Para já tem motor a gasóleo. O bloco 1.6 litros com 120 CV é excelente e está equipado com uma caixa de velocidades que veio diretamente dos EUA do Accord V6. Mas há mais. Por exemplo, a bagageira que exibe generosos 470 litros, envergonhando o mais encorpado Qashqai (“apenas” 430 litros). Ou os bancos mágicos, a arrumação interior e o amplo espaço oferecido para todos os ocupantes, além de um acesso à bagageira baixo. Tudo pontos que gosto muito no HR-V. Mas... há mais! A Honda trabalhou muito na insonorização, sendo o habitáculo do HR-V um local sossegado, aqui e ali perturbado por um mais maroto ruído aerodinâmico ou pela passagem por cima de um obstáculo que faz chegar uma maior vibração ao interior. Nada de decididamente mau ou penalizador. A qualidade dos materiais é boa, com exceção de alguns pormenores como o forro do tejadilho mal rematado sendo possível meter a mão dentro dele junto ao para-brisas ou algumas zonas mais remotas servidas por plásticos duros. Ainda assim, o HR-V tem boa qualidade de montagem e de materiais. Suficiente para suportar o peso dos anos tal como sucede com muitos Honda do passado. Além da boa qualidade, destaque para a boa montagem, exceção feita ao tal pormenor que acima refiro do forro do tejadilho. O estilo do HR-V foi ditado por aquilo que americanos e japoneses desejavam e por isso é que parece desfasado face ao novo Civic (também é mais velhinho...). Fica assim como que a meio da ponte, pois quando ficou definido já estava decidido que não iriam continuar a apostar no futurismo do anterior Civic. Como o novo ainda vinha longe, ficou assim. E a verdade é que não está nada mal e, visualmente, é agradável á vista com as suas proporções compactas e as formas redondas que marcam a lateral e a traseira, com o detalhe do puxador da porta traseira estar escondido. Não é original, mas fica bem. Na frente, voltamos aos faróis que rasgam a frente e desaguam numa grelha com moldura negra. Enfim, os homens da Honda conseguiram sacar um desenho musculado que está nos antípodas do menos inspirado estilo do HR-V original. Há modelos mais bonitos, é verdade, mas o HR-V é um bom exercício. >/>No interior, a Honda voltou a rejeitar o futurismo do Civic e por isso mesmo o HR-V é muito mais convencional, estando tudo mais bem arrumado na zona frente ao condutor e na parte inferior. O Honda Connect, sistema de info entretenimento da casa japonesa, está muito bem integrado no topo da consola central, com os comandos da climatização colocados debaixo do ecrã sensível ao toque de 7 polegadas, sendo também eles sensíveis ao toque. Tudo envolvido por um tablier que parte dele está virado para o condutor. A alavanca da caixa fez-me recuar uns anos até ao S2000, pois o nicho onde está ancorada a alavanca, curta e perfeita na localização, é praticamente igual. Espetacular a ideia ainda por cima quando a alavanca da caixa de velocidades manual é um regalo de ergonomia, beleza, suavidade e precisão. E lembra modelos antigos da Honda! Os bancos dianteiros são confortáveis e possuem belíssimo apoio lateral. Já atrás, o espaço em altura não é tão generoso e o banco é mais duro e desconfortável o que vai provocar algumas reclamações em longas viagens. E posso dize-lo sem problemas, pois cumpri alguns quilómetros no banco traseiro do HR-V e, na verdade, precisavam de um pouco mais de almofada. Voltando ao posto de condução, ficamos muito bem sentados e tudo roça a perfeição o que, cumprindo com o requisito do banco do condutor estar mais elevado, ali a meio caminho entre a posição de camião e a posição de desportivo de alguns dos rivais do HR-V, permite que a ideia de crossover não seja traída e satisfaça os clientes. Palavras finais para o motor 1.6 i-DTEC, uma unidade que funciona de forma suave, silenciosa e sempre com muito binário disponível. E no HR-V, levezinho (não passa dos 1300 quilogramas!) exibe-se na sua melhor forma, mesmo que na versão de 120 CV. Contas feitas ao consumo, consegui uns muito interessantes e agradáveis 5,7 l/100 km. Quanto ao comportamento, o trabalho feito no chassis e suspensões do HR-V resultou num carro onde existe pouco rolamento da carroçaria, a condução é sempre fácil devido a uma direção com o peso certo, mesmo que desprovida de sensibilidade, e um bom controlo da subviragem. >Veredicto Gostei muito do HR-V e de como a Honda soube reinventar um carro que estava “morto” há anos. Crossover, o HR-V não vai retirar a coroa ao Nissan Qashqai e acredito que essa não é a missão deste modelo. A Honda quer dizimar os seus adversários nipónicos, com o Mazda CX-3 à cabeça. Acredito que o Mazda é ligeiramente melhor que este HR-V, mas a verdade é que o Honda é um automóvel agradável à vista, eficaz, eficiente e surge muito bem equipado. Uma belíssima opção se quiser der diferente da multidão adepta do Qashqai e do CX-3. >>Gostou deste Honda HR-V? Então, porque não clica aqui e reserva já o seu?! >FICHA TÉCNICA >Honda HR-V 1.6 i-DTEC Motor 4 cilindros em linha, injeção direta, turbodiesel; Cilindrada (cm3) 1597; Diâmetro x curso (mm) nd; Taxa compressão nd; Potência máxima (cv/rpm) 120/4000; Binário máximo (Nm/rpm) 300/2000; Transmissão e direcção Tração dianteira, caixa manual de 6 vel.; direção de pinhão e cremalheira, com assistência elétrica; Suspensão (fr/tr) Independente tipo McPherson; eixo de torsão; Dimensões e pesos (mm) Comp./largura/altura  4605/1835/1685; distância entre eixos 2630; largura de vias (fr/tr) nd; travões fr/tr. Discos vent./discos; Peso (kg) 1395; Capacidade da bagageira (l) 395/1456; Depósito de combustível (l) 50; Pneus (fr/tr) 225/65 R17; Prestações e consumos aceleração 0-100 km/h (s) 10,1; velocidade máxima (km/h) 192; Consumos Extra-urb./urbano/misto (l/100 km) 4,2/4,6/4,2 (consumo real medido 5,7 l/100 km); emissões de CO2 (g/km) 104; Preço da versão ensaiada (Euros) 29.595 [gallery type="slideshow" size="full" ids="84141,84142,84143,84144,84145,84146,84147,84148"] Automonitor »