• Web moderna está viciada em javascript e cookies

    23 Maio 2020 >/>No seguimento dos sites que >reservam gigabytes em local storage no browser, temos também a constatação de que a web actual se afastou demasiado dos seus princípios, havendo inúmeros sites populares onde os cookies e o javascript se tornaram indispensáveis para ver qualquer conteúdo.>A web actual é um verdadeiro atentado à humanidade, parecendo haver uma competição secreta para implementar o maior número de trackers e de fazer as coisas da forma mais complicada possível, até mesmo para fazer aquilo que seria simples. E não há forma mais simples de o demonstrar do que regressar às origens.Neste caso, regressar às origens traduz-se por desactivar o javascript no browser usando uma extensão como o NoScript ou o uBlock para desactivar o Javascript (ou usando os site settings no Chrome), e ver de que forma isso afecta os sites. Teoricamente, um site na web deveria funcionar puramente via HTML + CSS, com o JavaScript a ser usado apenas para lhe dar maior interactividade e capacidades avançadas, mas o cenário é bem diferente.First, right off the bat sites seem to fall into 3 categories:- Blank white screens (45%)- Sites with some things but most content doesn't load (50%)- Sites that still mostly work (extremely rare, maybe 4%)- Sites that fully work (less than 1%)(2/11)— Sarah Withee (@geekygirlsarah) >May 13, 2020Hoje em dia temos um grande número de sites que, sem javascript (ou sem cookies), se limitam a apresentar uma página em branco (45%), outros mostram algumas partes da página sem interesse mas não mostram os conteúdos que se queria ler (50%), alguns ainda funcionam parcialmente (4%), e apenas 1% funciona completamente.Infelizmente estes resultados batem certo com a minha própria experiência, já que nos últimos meses também tenho tentado bloquear os cookies e javascript em todos os sites que puder; e infelizmente são muito poucos os que permitem que se faça isso. Nalguns casos até temos resultados bastante caricatos: como por exemplo, uns que começam por apresentar os conteúdos mas depois incluem HTML no final para o esconder, caso não existam cookies / javascript para o manter visível.É igualmente ridículo quando chegamos a sites que exigem o uso de Javascript para fazer coisas que poderiam ser feitas puramente em HTML, como formulário de contacto, ou até para fazerem o processamento de clicar num link!O Javascript é imensamente poderoso e ninguém quer acabar com ele; no entanto, seria bom relembrar que há muitas coisas para as quais não seria preciso usar Javascript, e que um bom teste que deveria ser obrigatório para todos os sites, era bloquear o javascript e os cookies, e ver se permanece minimamente funcional. >> >> >> Aberto até de Madrugada »

  • Cookies podem ocupar mais de 1GB no browser

    21 Maio 2020 >/>Os cookies nasceram como sendo pequenos pedaços de informação que os sites podiam pedir aos browser para guardar, mas há muitos sites que parecem ter uma diferente noção de "pequeno", usando cookies que podem ocupar mais de 1GB de espaço no browser.>Por vezes lembro-me de espreitar os cookies que os sites estão a utilizar, nem que seja apenas para os eliminar para continuar a ter acesso aos sites que insistem em implementar coisas como contadores do número de artigos que se pode ver (e onde uma >limpeza aos cookies do site?trata do assunto). Mas desta vez, com a chegada do >Chrome 83, decidi fazer uma revisão mais geral, até para sites e serviços que normalmente não controlava... e fiquei muito surpreendido com o que vi.Os cookies da Google ocupavam 1.1 GB(!), sendo que ao espreitar mais em detalhe, revelavam que 834 MB se deviam a cookies referentes ao docs.google.com.>/>Imagino que estes cookies estejam a ser usados como cache de alguns documentos que tenho criados no Google Docs / Sheets /etc. Mas considerando que nesse momento nem sequer tinha qualquer página deles aberta, parece-me excessivo que se mantenha tal quantidade de dados associada a um cookie, e ainda por cima sem que haja forma fácil de o limitar.Mas... lamento informar que a Google nem sequer é o pior exemplo disto, e tinha?outros sites a gastarem gigabytes ou muitas centenas de megabytes?sem qualquer motivo lógico para tal.>/>No topo da tabela, o site da >Gearbest, que mesmo sendo um site que mantenho permanentemente aberto para espreitar os gadgets, não me parece que tenha justificação para estar a gastar 9.2GB(!) em cookies. Mais absurdo, é que mesmo limpando os cookies e fazendo um simples login, os cookies voltam a indicar 5.2GB de espaço ocupado. Depois temos um site de notícias a também indicar 1.5GB num só cookie; e é também triste ver outros sites, de visita ocasional, ocuparem 200, 300 e 500MB em cookies; e outros que até se possa ter visitado uma única vez, há anos, também lá estejam a indicar mais de uma centena de megabytes em cookies.Com isto, começo a ficar mais adepto de bloquear todos os cookies para todos os sites, excepto uns poucos onde isso seja indispensável - mas já há sites onde nem sequer apresentam os conteúdos se não se tiver o javascript activado e se admitirem os cookies. Em alternativa, nada como usar o browser em modo normal apenas para os sites que se usam regularmente, e uma janela em modo incógnito para tudo o resto, sendo que nesse caso fica garantido que tudo é eliminado quando encerramos a janela (já que no Chrome temos ferramentas para apagar os cookies recentes, mas não para apagar os cookies "mais antigos que uma determinada data", o que também seria simpático).Se estiverem curiosos, podem espreitarem o espaço que está a ser desperdiçado em cookies no Chrome dando um salto a chrome://settings/content/all e ordenarem por espaço ocupado. >> >> >> Aberto até de Madrugada »