• Chineses ainda não contactaram Fiat Chrysler

    23 Agosto 2017 >/>A Great Wall Motors não teve ainda qualquer contacto com representantes da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), reporta a Reuters, na sequência das notícias de ontem que apontavam o grupo automóvel chinês como interessado na compra da Jeep, a mítica marca de veículos de todo oi terreno que pertence à FCA. /> “Temos interesse na FCA, mas ainda não houve qualquer progresso concreto até agora”, refere o grupo chinês numa comunicação à Bolsa de Xangai, onde estão cotadas as ações da Great Wall. A Automotive News avançou ontem que o presidente da Great Wall, Wang Fengying, planeava contactar a FCA para conversar sobre a aquisição da Jeep e duas fontes próximas do grupo chinês confirmaram à agência Reuters a informação. Automonitor »

  • Skoda prepara modelo low cost para mercados emergentes

    22 Agosto 2017 >/>A Skoda está a estudar a produção de um modelo low cost para os mercados emergentes, com lançamento previsto para 2020, compensando dessa forma o fim das negociações com o grupo indiano Tata Motors, dono da Jaguar Land Rover e um dos maiores fabricantes automóveis do país. O novo modelo ficará posicionado na gama abaixo do Citigo (foto) e não deverá ser vendido na Europa. /> Em março, Skoda e Tata assinaram um pré-acordo para uma parceria de longo prazo, tendo em vista a produção de modelos de preço baixo para o mercado indiano. Esta gama low cost teria como base a plataforma AMP da Tata, mas acabou por no avançar, com receios de que não cumpriria os requisitos de segurança e de emissões. A marca checa do grupo Volkswagen tem desenvolvido uma série de projetos que servirão de base ao futuro automóvel low cost destinado ao mercado indiano, mas que poderá depois ser vendido também noutros mercados emergentes, como o Brasil ou o Irão, disse à Automotive News Europe um alto responsável da Skoda. Automonitor »

  • Chineses da Chery chegam à Europa com SUV do segmento C

    22 Agosto 2017 >/>Os chineses da Chery, que produzem o Range Rover Evoque na China, ao abrigo de um acordo com a Jaguar Land Rover, vão apresentar no Salão Automóvel de Frankfurt um novo SUV compacto, com que pretendem entrar no mercado europeu. /> A chegada em força da Chery à Europa passa também pelo lançamento de outros novos modelos, quinda no segredo dos deuses, mas que serão lançados ao longo dos próximos anos. Estes novos modelos cobrirão múltiplos segmentos do mercado e estarão eletrificados, segundo informações de Anning Chen, CEO da companhia, entre híbridos recarregáveis e veículos totalmente elétricos. O SUV do segmento C que será apresentado em Frankfurt e terá um design e funcionalidades ajustados aos padrões dos consumidores europeus. “Todos os Chery que vão ser vendidos na Europa terão sistemas de conetividade de última geração, um interior espaçoso e múltiplas opções de personalização”, adianta Anning Chen. /> A marca revelou uma fotografia da consola interior do novo modelo, com um ecrã tátil de pequenas dimensões e mini ecrãs nos botões rotativos que regulam a climatização, seguindo uma solução já conhecida do Audi TT. Na China, a Chery tem uma gama que se desdobra por pequenos sedans compactos da família E, por citadinos e subcompactos da gama Q, declinada em versões elétricas eQ, e por uma oferta completa de SUVs pequenos e compactos com a submarca Tiggo Automonitor »

  • Chineses da Great Wall querem Jeep

    21 Agosto 2017 >/>O grupo chinês Great Wall Motor confirmou à Automotive News que está interessado na compra da Jeep e que já contactou o grupo FCA Fiat Chrysler Automobiles para iniciar conversações. ? /> O negócio exigiria a separação da Jeep do grupo FCA, que também está a estudar o spin off das marcas Alfa Romeo e Maserati numa nova companhia e que ficaria diretamente com as marcas Fiat, Chrysler, Dodge e RAM. “Estamos profundamente interessados na marca Jeep, que temos seguido com atenção desde há muito tempo”, confirmou à Automotive News Xu Hui, um dos porta-vozes da Great Wall. “O nosso objetivo é sermos o maior fabricante mundial da SUVs e a aquisição da Jeep permitir-nos-á antecipar e atingir melhor esse objetivo”, adiantou. Tal como a Jeep, a Great Wall é especializada na produção de SUVs e de veículos de todo-o-terreno. Vendeu em 2016 mais de um milhão de unidades, das quais 938 mil da marca Haval, criada em 2013 para os SUVs do grupo, mantendo-se a marca Great Wall apenas para as pick-ups. O Haval H6 é o líder do segmento na China, com mais 600 mil unidades vendidas em 2016. Este ano, a Great Wall instalou em Detroit um centro de investigação e desenvolvimento, que seve também de observatório do mercado norte-americano. O grupo tem também um centro de investigação e desenvolvimento em Los Angeles, na Califórnia, e anunciou o seu interesse em construir uma fábrica no México. >Leilão pela Jeep? A Jeep é considerada pelos analistas como o ativo mais valioso da FCA, uma espécie de joia da coroa que poderá valer sozinha mais do que todo o grupo, o que levou o CEO Sergio Marchionne a admitir, em abril, um possível spin off da marca. De acordo com estimativas do banco de investimento americano Morgan Stanley, a Jeep poderá valer 33,5 mil milhões de dólares, mais do que os 32 mil milhões de todo o Grupo FCA. A autonomização da Jeep poderá fazer despertar o interesse de outros grupos, levando a um leilão entre vários interessados. A Automotive News refere que a Jeep poderia encaixar bem no Grupo GM, compensando o desaparecimento da Hummer, ou ser um bom reforço da gama de SUVs da Volkswagen na América do Norte. Ou, ainda, ser alvo do grupo indiano Mahindra, que à semelhança da Great Wall é especializado em veículos de todo-o-terreno e poderia ver na Jeep uma oportunidade para ganhar tecnologia e entrar no mercado americano. Nos EUA, a Jeep conta com uma rede de 2400 concessionários A Jeep poderia assim seguir os casos de sucesso da Volvo, adquirida pelos chineses da Geely, ou da Jaguar Land Rover, hoje controlada pelo grupo indiano Tata. /> Em 2016, a Jeep vendeu 1,41 milhões de veículos na América do Norte, Europa, América latina e Ásia. Um terço das vendas são já feitas fora dos EUA. Novas fábricas, no Brasil, Índia e China, estão já a produzir o mini SUV Renegade, o best-seller da marca e dos modelos Compass (foto) e Cherokee. A gama será reforçada, em 2019, com o lançamento da nova geração do Wagoneer e do Grand Wagonner. O objetivo da marca é chegar aos dois milhões de veículos vendidos em 2018. Automonitor »