• Xiaomi apresenta um carregador rápido USB-C de 20 W compatível com o iPhone 12

    1 Novembro 2020 >A justificação é ser uma tentativa de ajudar a conservar o planeta. O “gesto” foi estendido até mesmo aos modelos mais antigos, como o iPhone 11 e o iPhone SE 2020. >Publicado primeiro em >AndroidGeek - O maior site de Android em Português escrito por >Joao Bonell Android Geek » 4gnews »

  • Gigantes da internet lucram 32 mil milhões

    1 Novembro 2020 Amazon, Facebook, Apple e Google registam resultados históricos e continuam a dominar mercado. Correio da Manhã »

  • Apple: iPhone 12 tem uma péssima bateria para aqueles que adoram jogar no smartphone

    31 Outubro 2020 Se és daqueles que adora jogar no smartphone, é possível que os novos smartphones da Apple, iPhone 12, não sejam os dispositivos para ti. Isto porque, de acordo com os testes de bateria do PhoneArena aos iPhone 12, deixam seriamente a desejar neste segmento. Os resultados são seriamente desapontantes. Bateria do iPhone dos iPhone 12 nos jogos Este é provavelmente o setor onde os novos iPhone 12 estão longe da concorrência. Aliás, estão seriamente longe dos antecessores. Com uma autonomia para 3 horas de jogo, o iPhone 12 e iPhone 12 Pro ficam seriamente abaixo do iPhone 11 que nos dura para 7.47h no mesmo cenário. O equipamento que mais nos dá autonomia para jogos, segundo este teste, é o mais recente smartphone da Samsung, Galaxy S20 FE. Bateria dos iPhone 12 na reprodução de vídeos do YouTube Neste cenário não podemos dizer que nos decepciona muito. Ainda assim, fica bem abaixo dos concorrentes da Samsung ou até da Google. Bateria dos iPhone 12 na browsing da Internet Já neste último cenário, os iPhone 12 e iPhone 12 Pro tem resultados positivos ao estarem acima da concorrência na maior parte dos casos. Apple precisa de melhorar a autonomia dos novos iPhones Na maior parte das situações, este problema consegue ser resolvido com atualizações de software. Porém, é possível que a bateria desapareça mais rápido porque a Apple quer trazer mais potência aos iPhone 12 no setor. iPhone 12 e iPhone 12 Pro: Primeiras Impressões Ou seja, neste caso, teria mesmo de baixar um pouco o desempenho (que tanto se gabam) de forma a dar mais autonomia. Esperemos para ver se a Apple fará algo ou não. Editores 4gnews recomendam: Google lança VPN grátis para proteger a privacidade dos seus utilizadores "Xiaomi" Yeelight chega a Portugal de forma oficial! Conhece a sua loja online Facebook para Android começa a receber funcionalidade muito pedida 4gnews »

  • Papa telefona a Macron e reza por uma Europa unida

    31 Outubro 2020 De acordo com o Programa Alimentar Mundial, os efeitos da pandemia de Covid-19 podem duplicar o número de pessoas com fome no mundo em 2020, com uma estimativa de cerca de 265 milhões de pessoas em risco de fome. Renascença »

  • Apple: mais uma nova polémica com o iPhone 12! Agora relativamente às suas câmaras

    31 Outubro 2020 A Apple parece que até estar a ter sucesso no lançamento dos novos iPhone 12, contudo, este sucesso não chega sem algumas críticas e polémicas. Depois da situação dos riscos no ecrã, a nova situação é referente às câmaras dos novos iPhone 12. Para ser mais concreto, sobre a sua reparação. Ficará mais caro reparar uma câmara do iPhone 12 porque a Apple assim o quer iPhone 12 Camera Swap Test Segundo as informações do iFixit, não será propriamente fácil trocar a câmara do iPhone 12. Isto porque a Apple simplesmente não quer. Atenção que no iPhone 12 Pro não existe esse problema. Não deixa de ser engraçado, isto porque o modelo "Pro" tem mais capacidades que o modelo "normal". iPhone 12 Pro Camera Swap Test O pessoal do iFixit referiu que não há problemas em trocar o hardware, porém, a Apple restringe a sua utilização ao software. Ou seja, a troca dos sensores fotográficos terá de ser feita pela Apple ou por reparadores autorizados. Isto porque os reparadores precisarão de solicitar autorização à Apple na troca destes sensores. Caso não aconteça, vai acontecer o que podemos ver no vídeo. O sensor é trocado, porém, a câmara não funcionará como é esperado. A lente grande-angular não responderá e o software da câmara terá imensos problemas. Para os utilizadores sem conhecimento, vai parecer que é um problema de software. Apple quer complicar ainda mais as reparações não autorizadas Estas medidas só acontecem porque a Apple quer restringir ainda mais as reparações não autorizadas dos seus smartphones. No mesmo tom, quer aniquilar todo o hardware compatível e não oficial que está à venda num mercado paralelo. Por fim, é também uma boa forma de desvalorizar um equipamento para venda em segunda mão. Um mercado que a Apple nunca se preocupou, porém, que fazem as receitas baixar na compra de novos equipamentos. Enfim, "Apple a ser Apple". Editores 4gnews recomendam: Nos tablets não há pai para a Apple e para os seus iPad Sucesso do iPhone 12 faz a Apple aumentar a produção consideravelmente iPhone 12: 4 acessórios essenciais para o teu novo smartphone Apple 4gnews »

  • Nos tablets não há pai para a Apple e para os seus iPad

    30 Outubro 2020 O iPad da Apple continua a dominar o mercado de tablets. Infelizmente, esta não é uma novidade que nos deixará espantados. Isto porque tirando a Samsung e Huawei, são poucas as fabricantes que continuam a lutar neste setor. Pessoalmente acredito que este setor de tablets tem muitas capacidades, porém, numa ideologia diferente daquilo que temos neste momento. Já falarei sobre o assunto. iPad da Apple continua a dominar a venda de tablets Segundo os analistas da IDC, a Apple continua a dominar sem grandes problemas o mercado de tablets. Com mais de 13.9 milhões de iPads vendidos no terceiro trimestre de 2020. Isto faz que a cota de mercado da Apple seja de 29.2%. Um maketshare que a Apple não consegue ter na venda de smartphones. A Samsung está logo atrás com 9.4 milhões de unidades vendidas e uma cota de mercado de 19.8%. Em terceiro lugar temos a Amazon com os seus "Fire" a preços baixos. Ainda assim, isto rende à Amazon o terceiro lugar com 11.4% do mercado. A Huawei está em quarto lugar com 4.9 milhões de unidades vendidas e apenas 10.2% do marketshare. Tablets podem ser o futuro da nossa casa inteligente Os tablets tem sido vistos como um gadget de lazer ou de trabalho (questionável). Isto porque a produtividade de um tablet não é tão grande quanto a de um PC. Além disso, não é tão cómodo quanto um telemóvel para o transporte. Assim sendo, um tablet é perfeito neste momento para ver uns vídeos no sofá ou então levar numa longa viagem de avião. Porém, gostava de ver um pouco mais. Tenho trabalhado em tornar a minha casa inteligente, porém, não sou daqueles que anda com o smartphone quando estou em casa. Assim sendo, instalei um iPad (em formato teste) para ser o meu comando. Isto para quando não quero falar com a Google por alguma razão. Não posso dizer que está a correr mal, muito pelo contrário, porém, gostava de ver um software mais adaptável para tal. A Amazon faz um bom trabalho com as suas "Alexas com ecrã", porém, são lentas, pequenas e com um software mau. Se os fabricantes de Android (digamos Xiaomi) se focasse em trazer um tablet para ser um controlador de smart home, acredito plenamente que o futuro seria risonho. Não falo em trazer um tablet só para isso, porém, muito focado na smart home. Talvez para já não tivesse muito sucesso, todavia, era mais uma funcionalidade que poderíamos dar ao nosso tablet. Editores 4gnews recomendam: "Xiaomi" Yeelight chega a Portugal de forma oficial! Conhece a sua loja online Xiaomi lança um gadget para competir com o Google Chromecast, só que não precisa de Internet Smartphones: Xiaomi ultrapassa a Apple e é agora terceira a nível mundial 4gnews »

  • Spotify alcança meta incrível, mas continua a derreter dinheiro!

    29 Outubro 2020 Com o terminar se mais um trimestre, são muitas as empresas e fabricantes que revelaram os números alcançados durante os últimos 3 meses e a Spotify foi uma delas. De acordo com o mais recente relatório, o serviço de streaming de música continua a apresentar um crescimento impressionante, acrescentando 72 milhões de utilizadores ativos durante os últimos 12 meses. No que respeita ao número de subscritores, a empresa conseguiu também apresentar números impressionantes, ultrapassando a marca dos 144 milhões. Tendo registado 113 milhões de subscrições ativas no ano passado, conseguiu garantir um crescimento YoY de 27%. Crescimento de utilizadores no Spotify continua a traduzir-se em prejuízos Ao contrário do que se poderia pensar, este constante crescimento no número de utilizadores ativos (e subscritores) no Spotify, acaba por não significar que a empresa consegue alcançar grandes números no que respeita ao lucro atingido. Apesar de terem apresentado receitas de quase 2 mil milhões de euros durante o último trimestre, o Spotify voltou a confirmar um prejuízo operativo de 101 milhões de euros. Estas informações acabam por nos deixar um pouco confusos, visto que com receitas desta dimensão, não deveria ser muito complicado conseguir alcançar números positivos. Apesar do grande crescimento no número de utilizadores, o Spotify revelou ainda que as "receitas por utilizador" sofreram uma quebra de 10%, o que poderá justificar o prejuízo no final do trimestre. Spotify continua a ser líder indiscutível É verdade que ao longo dos últimos tempos temos visto o Spotify dar as boas-vindas a inúmeros rivais. No entanto, apesar de alguns deles apresentarem uma biblioteca muito interessante e até um preço mais apetecível, acabam por não conseguir convencer os seus amigos a mudarem de serviço. A plataforma Amazon Music conta atualmente com 55 milhões de utilizadores e o Apple Music tinha 60 milhões de subscritores em junho do ano passado. Infelizmente, a Apple decidiu desde então, deixar de partilhar os números dos seus serviços. Editores 4gnews recomendam: iPhone 12 Mini: eis o primeiro vídeo do smartphone! Nem vais acreditar no seu tamanho! Samsung roubou a liderança à Xiaomi no segundo maior mercado do mundo! Xiaomi tem a alternativa perfeita ao Google Chromecast. E tem um trunfo brutal! 4gnews »

  • OE 2021. Saiba que medidas estão em cima da mesa e podem ainda ser alteradas

    29 Outubro 2020 i Online »

  • Shell: prejuízos de 15 mil milhões de euros

    29 Outubro 2020 i Online »

  • Os smartphones podem superar as consolas no coração dos utilizadores?

    29 Outubro 2020 >O crescimento é inequívoco e as contingências da atual pandemia estimulam e potenciam este tipo de atividades online. Espera-se que fatores como o aumento do número de utilizadores de smartphones, o aumento da procura de bens e serviços pela Internet, o forte crescimento dos jogos móveis, o crescimento dos eventos desportivos e o aumento das apostas desportivas online impulsionem o mercado. >Publicado primeiro em >AndroidGeek - O maior site de Android em Português escrito por >Fernando Marques Android Geek »

  • Apple chega aos mil milhões de iPhones

    29 Outubro 2020 >/>A Apple terá neste momento um mercado de mais de mil milhões de iPhones activos, e reforçou a produção dos mais recentes iPhone 12.>Segundo as estimativas da Above Avalon, a Apple contará agora com >mil milhões de iPhones activos espalhados pelo mundo. E embora nos últimos anos tenha registado um abrandamento, parece haver ainda espaço para conseguir acumular mais umas centenas de milhões nos próximos anos.>/>>/>Igualmente interessante será também analisar quantos dos novos iPhones são comprados por novos utilizadores ou por pessoas que substituem os iPhones que já tinham. Face aos resultados de 2015 e 2017, em que essa proporção era de cerca de 50-50%, este ano mais de 80% das pessoas que irão comprar um iPhone 12 serão pessoas que já tinham iPhones.Sejam os compradores quem forem, o que é certo é que a recepção positiva dos iPhone 12 já fez a Apple >aumentar a produção dos iPhone 12 com mais 2 milhões de unidades.Pessoalmente, parece-me que - para quem puder aguardar - será mais produtivo esperar pelo modelo do próximo ano, que contará com um 5G mais poupado, LIDAR potencialmente revisto, e ecrã de 120Hz. Mas, há pessoas que por motivos de contrato ou de velhice dos seus iPhones, não poderá esperar... e nesse caso, os iPhone 12 deste ano serão a única opção disponível (e permitirão aguentar-se por mais 4 ou 5 anos). >> >> >> Aberto até de Madrugada »

  • Apple: mais de mil milhões de pessoas utilizam o iPhone

    28 Outubro 2020 Treze anos após o início das vendas do primeiro modelo a Apple tem mais de mil milhões de utilizadores de iPhone. A invejável meta terá sido alcançada no passado mês de setembro de 2020 de acordo com o analista Neil Cybart da Above Avalon. O iPhone continua a ser um dos smartphones mais vendidos em todo o mundo e um dos mais cobiçados no mercado. Ao mesmo tempo, a Apple vê inúmeras fabricantes a copiar descaradamente o iPhone, ou a influenciar-se largamente neste produto. O iPhone é, e continuará a ser, a prioridade da Apple Cybart refere ainda que, apesar de cada novo iPhone atrair anualmente entre 20 a 30 milhões de novos utilizadores, esta tendência está em queda. Ao invés, é no programa de atualizações e upgrade de equipamentos que reside a tendência crescente. De acordo com as suas previsões, para o ano fiscal de 2020, as vendas de iPhones a novos utilizadores representará menos de 20% do total de unidades vendidas. Caso tal se verifique, será um mínimo histórico para a empresa de Cupertino. A Apple influencia o mercado e a concorrência As conclusões apontam o dedo acusatório às rivais da Apple que não se privam de inspirações mais, ou menos, próximas do plágio. De qualquer modo, o autor espera que a gigante de Cupertino continue a ter o iPhone como uma das prioridades em 2021. A par deste produto, a empresa de Tim Cook continuará a expandir o seu leque de serviços, bem como as formas e planos de adesão ao seu ecossistema geral. Algo que a ajudará a aumentar a sua influência sobre os consumidores e todo o mercado tecnológico. Mais de mil milhões de iPhones ativos em 2020 O ritmo de crescimento tem vindo a abrandar à medida que as novas instalações se aproximam dos mil milhões de unidades. Este cenário deve-se à já grande penetração da Apple nos vários mercados mundiais e na tendência de abrandamento global. De qualquer modo, a Apple tem conseguido captar entre 20 a 30 milhões de novos utilizadores, com base nas ativações, nos anos mais recentes. Mais ainda, os novos utilizadores têm uma maior chance de investir seriamente no ecossistema Apple. Isto significa que além dos mais de mil milhões de iPhones ativos, há cada vez mais consumidores a investir nos produtos complementares como o Apple Watch, AirPods, HomePod, na gama iPad, bem como nos computadores Mac. As 3 prioridades para o futuro do iPhone 1. Fomentar o avanço tecnológico no campo da fotografia e desenvolver as câmaras do iPhone. 2. Aumentar o valor inerente à posse e utilização de um iPhone. 3. Aumentar o número de tarefas e funções que podem ser efetuadas e mediadas pelo iPhone. Olhando para o futuro, o analista partilha vários dos vetores que poderão ser seguidos pela Apple na prossecução de novas tecnologias e avanços para esta gama de produtos. As câmaras são uma das prioridades, mas não a única. As câmaras. Querendo liderar o setor mobile nos próximos cinco a dez anos, a Apple continuará a desenvolver câmaras mais poderosas e ampliar as capacidades para fotografia e vídeo. É neste campo onde teremos avanços mais significativos. O percurso da Apple passará muito pela Realidade Aumentada (RA) e respetivas possibilidades, sendo esta uma das áreas de interesse para Tim Cook. Algo que poderá não só melhorar o desempenho fotográfico, mas também a utilidade do iPhone. O valor do iPhone. Não necessariamente o impacto social de possuir um iPhone, mas o valor inerente ao produto. Para tal, a Apple deverá batalhar para aumentar a durabilidade e longevidade do mesmo, abrangendo também as atualizações de software. A empresa poderá capitalizar na grande longevidade dos seus produtos, atraindo assim novos utilizadores e mantendo a atual base satisfeita. Este ponto é de especial importância uma vez que os consumidores mantêm cada vez mais os seus equipamentos. Observando um aumento gradual do ciclo de substituição de smartphones, com os consumidores a manterem durante 30 meses os seus telefones, em média, a Apple pode e deve destacar-se neste quesito. O papel do iPhone. Tim Cook referiu-se ao iPhone como o produto que mais utilizamos no nosso quotidiano durante o último evento de apresentação de produtos, o "Hi, Speed". Para o analista, esta postura denota o curso atual de toda a empresa. As tarefas que o telefone pode fazer deverão aumentar, bem como o seu impacto no nosso dia a dia. O objetivo passará por tornar o iPhone numa parte indispensável, dotando-o de mais capacidades para nos ajudar nas mais variadas tarefas. Para tal, a relação de simbiose entre o Apple Watch e o iPhone deverá ser nutrida e possivelmente expandida. Algo que também se poderá estender a novos gadgets e produtos da empresa com o intuito de completar o respetivo ecossistema. 2021 será o melhor ano para os iPhones da Apple O analista estima que 2021 seja o ano de novos máximos para os iPhones da Apple. A estimativa aponta para o próximo ano valores superiores ao máximo atingido durante o ano fiscal de 2015 em que foram vendidos cerca de 231 milhões de iPhones. Desde então, a Apple nunca conseguiu superar esta fasquia durante um ano fiscal. No entanto, em 2021 poderão ser vendidos cerca de 240 milhões de unidades caso se mantenha a atual tendência de crescimento da Apple e a procura pelos seus produtos. O novo ciclo do 5G criará no mercado uma nova necessidade que se traduzirá num aumento da procura. Este esforço redobrado, liderado pela geração iPhone 12, coincidirá com o ciclo de substituição de iPhones para vários consumidores. A junção destes fatores poderá, para o analista responsável pela Above Avalon, causar um pico nas vendas de iPhones em 2021. Editores 4gnews recomendam: Apple está a desenvolver a sua alternativa à Pesquisa Google Apple quer que gastes mais dinheiro para usufruíres do carregador sem fios MagSafe Apple iPhone 12 Pro é mais robusto e resistente a riscos (vídeo) 4gnews »