• OnePlus 5 e 5T recebem Project Treble não oficial

    16 Abril 2018 >/>A OnePlus desapontou os fãs ao revelar que o OnePlus 5 e 5T iriam receber o Android 8.1 >mas sem direito ao Project Treble que facilitaria o processo de actualizações a longo prazo, mas mais uma vez a comunidade pôs mãos à obra e tratou do assunto.>>O problema de aplicar o Project Treble no OnePlus 5 e 5T tinha a ver com o risco acrescido de ter que modificar as partições, mas quando à vontade tudo se consegue - e neste caso a >solução (não-oficial) adoptada foi a de simplesmente reutilizar uma partição já existente dedicado a coisas da Xiaomi mas que tem espaço livre suficiente para cumprir com os requisitos da implementação do Project Treble.Desta forma, os utilizadores ganham versatilidade e podem instalar sistemas Android completamente diferentes com garantia quase absoluta de que tudo funcionará sem problemas, sendo uma grande vantagem para os fãs das ROMs não oficiais.No entanto, para a maioria dos utilizadores (que não se querem preocupar com isso), as vantagens do Project Treble só se irão começar a fazer sentir a partir do final deste ano, quando chegar o momento de fazer a actualização para a próxima grande versão do Android. Será aí que o Project Treble será realmente posto à prova e terá que mostrar o que vale. >> >> >> Apps do Android »

  • Quer fazer perguntas aos livros? A Google já faz

    16 Abril 2018 i Online »

  • OnePlus 6 revelado por fabricante de capas

    15 Abril 2018 />Os fabricantes de acessórios estão, muitas vezes, na origem dos leaks mais credíveis sobre novos equipamentos, e parece que isso volta a acontecer relativamente ao próximo OnePlus 6.>>O >OnePlus 6 é um dos smartphones mais aguardados do momento, sucedendo ao OnePlus 5T e agora vindo equipado com um Snapdragon 845 e ecrã "mais full-screen" com direito a notch no topo e tudo. Depois de algumas supostas fotos deste smartphone, é a vez de um >fabricante de capas avançar com imagens que nos podem dar uma visão antecipada de como será este novo OnePlus.No entanto, será aconselhável alguma prudência, pois parece-me que estamos perante um caso em que o fabricante de capas terá tido alguma criatividade artística ao fazer estas imagens. Nomeadamente, embora seja apresentada a imagem de um modelo completamente full-screen, é muito mais provável que o OnePlus 6 tenha uma margem mais pronunciada na parte inferior, como revelado noutras imagens>/>>/>O notch apresentado na imagem inicial também é diferente daquele que é apresentado nestas outras imagens, sendo que arriscaria dizer que se tratou de uma imagem que tinha por base um iPhone X onde reduziram ligeiramente o seu notch.O que não deixa margem para dúvidas é que, depois do stock de OnePlus 5 T ter esgotados nos EUA, agora também esgotou na >loja online da OnePlus na Europa - o que significa que a chegada do OnePlus 6 terá que acontecer muito em breve. E na verdade, a OnePlus tem apenas que se limitar a revelar a única coisa que interessa neste momento: o preço!A Asus já surpreendeu ao revelar que o seu ZenFone 5Z com Snapdragon 845 chegará até nós com preço abaixo dos 500 euros; e a Xiaomi aumentou a parada ao apresentar o seu >Black Shark, também com um Snapdragon a preço "imbatível" de 387 euros. A bola fica agora do lado da OnePlus, para nos demonstrar se ainda é capaz de manter o espírito "flagship killer"... >> >> >> Apps do Android »

  • Huawei quer vender 20 milhões de unidades da sua nova gama P20 em 2018

    14 Abril 2018 />>Yu Chengdong, um dos responsáveis da Huawei, confirmou em entrevista que a empresa asiática espera vender mais de 20 milhões de unidades da sua nova gama P20 em 2018. >Atualmente, a Huawei está no top 3 de fabricantes ao lado da Samsung e da Apple, sendo que a sua nova série de smartphones já está a receber grande feedback por parte do público. >De acordo com o que foi dito por Yu, a Huawei está a investir dez vezes mais em investigação e desenvolvimento que os principais concorrentes na China, um investimento que tem como objetivo desenvolver funcionalidades inovadoras para os seus smartphones. >Mas a Huawei não quer só apostar nos novos equipamentos e preocupa-se em deixar os seus atuais utilizadores satisfeitos. Para que isto seja possível, Yu Chengdong revelou que vão tentar melhorar o desempenho dos aparelhos mais antigos através da otimização de software.  >A série HUAWEI P20 apresenta uma configuração estética avançada. De forma notável, o HUAWEI P20 e o HUAWEI P20 Pro vêm com cores novas, exclusivas e elegantes, Twilight e Pink Gold, conseguidas com a aplicação de várias camadas de revestimentos óticos NCVM  por baixo do vidro para que a luz ao bater na superfície refrate e crie um mudança vívida, mas gradual de matiz. O HUAWEI P20 e o HUAWEI P20 Pro também estão disponíveis em Black e Midnight Blue. >O ecrã de 5,8 polegadas HUAWEI P20 e o ecrã de 6,1 polegadas HUAWEI P20 Pro possuem molduras ultrafinas e proporções impressionantes em termos de ecrã para melhores experiências de visualização com mais informações no ecrã, seja leitura ou jogos. O monitor HUAWEI FullView combina perfeitamente com as extremidades arredondadas, tornando o dispositivo confortável de segurar. >As principais funcionalidades da série HUAWEI P20 incluem: um avançado sistema de câmara para maior captação de luz, mais detalhes e mais beleza, com uma revolucionária câmara tripla Leica no HUAWEI P20 Pro, com uma maior quantidade de pixéis conseguida no sector dos smartphones e ainda uma nova câmara dupla Leica no HUAWEI P20; recursos fotográficos inovadores, incluindo Master AI, com funcionalidades de fotografia profissional orientadas por IA e o HUAWEI AIS, uma poderosa tecnologia de estabilização de IA; moldura fina, quase impercetível, design inspirado pela luz, com cores impressionantes e acabamentos em degradé dinâmico; processador Kirin 970 com NPU dedicado e EMUI 8.1 baseado em Android ™ 8.1 para uma experiência de utilização premium e suave do interior para o exterior. >>  >A Série HUAWEI P20 e o PORSCHE DESIGN HUAWEI Mate RS estão disponíveis globalmente. No que a preços diz respeito, o Huawei P20 vai chegar às lojas com um PVP de 699€, sendo que a versão PRO do equipamento terá um custo de 899€. Wintech »

  • Xiaomi apresenta Black Shark - o smartphone para jogos

    14 Abril 2018 />O segmento dos jogos mobile tem movimentado cada vez mais milhões e a Xioami quer estar na linha da frente, lançando um smartphone concebido especificamente para essa função.>>O >Black Shark da Xiaomi é um smartphone com ecrã LCD Full HD+ de 5.99" (com 97% do DCI-P3), Snapdragon 845 com arrefecimento por líquido (para lhe permitir funcionar à frequência máxima durante mais tempo sem redução de velocidade), 6GB+64GB ou 8GB+128GB, câmara dupla traseira de 20MP+12MP, câmara frontal de 20MP, bateria de 4000mAh, e vem com um novo interface JOY UI, baseado no MIUI mas orientado para a gestão de jogos.>/>A acompanhá-lo temos o Black Shark Gamepad, que se encaixa do lado esquerdo e se liga ao smartphone via Bluetooth, contando com um thumbpad e alguns botões extra - sendo que os primeiros 50 mil comparadores terão direito a receber um gratuitamente.>/>Chegando aos preços... a Xiaomi faz o que é costume: a versão de 6GB+64GB fica disponível por cerca de 387 euros (preço na China) fazendo deste Black Shark o mais económico smartphone com um Snapdragon 845 até ao momento. A versão de 8GB+128GB fica disponível por 450 euros; e o gamepad irá custar cerca de 23 euros.Falta apenas clarificar se realmente vem equipado com um ecrã de 120Hz, ao estilo do Razer Phone... ou se temos um ecrã mais convencional de apenas 60Hz. >> >> >> Apps do Android »

  • Lâmpadas Tradfri da Ikea ganham controlo via Google Assistant

    14 Abril 2018 >/>Depois de muitos atrasos, o sistema de lâmpadas inteligentes >Tradfri da Ikea ganha finalmente compatibilidade com o Google Assistant.>A compatibilidade com os diversos assistentes tinha sido inicialmente prometido para o Verão de 2017, coisa que se veio a atrasar um pouco. Só em Novembro é que este sistema Tradfri ganhou >integração com a Alexa da Amazon e HomeKit da Apple?deixando, no entanto, o Google Assistant de fora. Isso é algo que fica resolvido com a actualização lançada hoje, que assim coloca o ajuste destas luzes à distância de um comando de voz no Google Assistant (ou Google Home).>/>Depois de se associar o sistema Tradfri ao Google Assistant, podemos atribuir a localização e nomes de cada uma das lâmpadas; e de seguida controlá-las com um simples pedido de ligar, desligar, ou de aumentar / diminuir a sua intensidade. É também possível fazer o controlo em grupo, dizendo algo como "ligar luzes da sala" ou "desligar luzes do quarto".Embora possa parecer pouco prático, muitas vezes acaba por ser mais prático para lidar com situações ocasionais, especialmente se se tiver um Google Home sempre à escuta, ou um smartphone com Google Assistant e a capacidade de reconhecer um "Ok Google" - pois assim nem sequer se tem que pegar no smartphone, basta falar desde que ele esteja por perto. >> >> A Minha Alegre Casinha »

  • Análise ao Huawei P20 Pro

    12 Abril 2018 />O Huawei P20 Pro há muito que vinha a gerar grande curiosidade devido à opção da marca em adicionar uma terceira câmara - que levantava naturais dúvidas sobre se se justificaria face às câmaras duplas - e agora que chega ao mercado... fica demonstrado que foi mesmo uma boa aposta.>>>O Huawei P20 Pro>/>O Huawei P20 Pro é um smartphone que vem equipado com um ecrã de 6.1" (2244x1080) com recorte no topo, CPU Kirin 970, 6GB de RAM, 128GB, câmara tripla de 40MP + 20MP (mono) + 8MP (telefoto), câmara frontal de 24MP, bateria de 4000mAh e Android 8.1 com EMUI 8.1.>/>Na caixa encontramos o mínimo que seria esperado num modelo topo de gama: um carregador rápido SuperCharge, cabo USB-C, earphones, e adaptador USB-C para ficha 3.5mm - já que também este modelo se despede dessa ficha (e já que estamos a falar das coisas em falta, também está ausente o habitual slot para cartões microSD).>/>Em termos de design não se pode dizer que o P20 Pro seja um modelo particularmente bem conseguido, embora tenha uma qualidade de construção ao nível do que melhor se pode fazer actualmente.>/>>/>>/>>/>A opção por um ecrã "quase full screen" é bem vinda, e a Huawei esforçou-se por reduzir o "notch" ao mínimo, mas esse esforço é parcialmente traído pelo facto de se continuar a ter uma margem inferior significativa, onde está alojado o botão / sensor de impressões digitais. Embora seja fã dos sensores de impressão digitais à frente... sem dúvida que isto melhor teria ficado num sensor integrado no próprio ecrã, tal como a Huawei fez no >Mate RS.>/>>/>Outra opção algo estranha, pelo menos neste modelo que testamos, é a aplicação de origem de uma película de protecção no ecrã - algo que não é muito comum nesta gama de produtos, e que nos faz perguntar se estaremos perante uma repetição do que se passou com o Huawei P10, cujo ecrã >inicialmente veio sem tratamento olefóbico, que só veio a ser aplicado nas unidades lançadas mais tarde.>/>>/>[P20 Pro cresce um pouco face ao P10]>/>>Em funcionamento>/>Recorrendo ao Kirin 970 já conhecido do Mate 10 e assistido por 6GB de RAM, o P20 Pro não tem problemas em lidar com todo o tipo de apps sem qualquer dificuldade e sem que se notem hesitações. É o desempenho que se esperaria de um topo de gama, e o facto de estarmos a lidar com um Android 8.1 através da EMUI 8.1 não se revelada demasiado intrusiva.>/>>/>No launcher de origem temos acesso ao Google Feed no ecrã à esquerda, tal como qualquer fã de Androids "puros" aprecia; e o acesso ao Google Assistant está sempre à distância de um toque prolongado no home button (infelizmente ainda sem acesso ao Google Lens, que está prometido há alguns meses).>/>De resto, o EMUI dá-nos imensas opções de configuração que se tornam úteis. Para além de permitir escolher entre a tradicioal app docker do Android ou ter as apps todas no Home Screen (à iOS), temos várias opções relativas à utilização do notch. Uma delas permite esconder o notch deixando aquela secção com fundo a preto.>/>>/>Outra permite-nos escolher se queremos utilizar os tradicionais botões virtuais de navegação no ecrã, uma tecla de navegação virtual, ou então usar navegação através de gestos no home button (que pessoalmente é a que me parece mais funcional e desocupa completamente o ecrã). Neste caso, temos um toque rápido para fazer "back", um toque longo para fazer "home", um gesto de deslizar lateral dá acesso às apps recentes, e um deslizar de baixo para cima no ecrã chama o Google Assistant.>/>Outras opções recomendáveis para se libertar espaço na barra de estados: podemos esconder o nome do operador (que só por si, ocupa demasiado espaço), e quem gostar de ter a percentagem da bateria, pode optar por mostrá-la dentro do próprio icon da bateria em vez de estar ao lado.Mas passemos à parte que interessa e que é o grande ponto diferenciador deste P20 Pro.>A câmara tripla do P20 Pro>/>Pois é... depois de se ter juntado ao grupo das câmaras duplas com o P10, numa curiosa opção de sensor a cores + sensor monocromático, a Huawei não só reformulou os sensores como adicionou uma câmara extra, novamente em parceria com a Leica.O P20 Pro vem com uma um sensor principal de 40MP (a cores) + 20MP (mono) + 8MP (telefoto). Sistema que lhe permite combinar o melhor de todos os sistemas existentes: tem sensor monocromático para melhorar a qualidade em baixa luminosidade e tem sensor com lente telefoto para maiores detalhes na secção principal da imagem e ou fazer zoom óptico sem perda de qualidade.>/>Importa referir que, embora se possa ter acesso às fotos com resolução de 40MP, a opção mais recomendada é usar a resolução de 10MP. Neste modo, o P20 Pro consegue fazer o melhor aproveitamento do sensor (agrupando blocos de 4 pixeis, para além da informação fornecida pelos outros sensores) para nos dar imagens de excelente qualidade.Excelente também a utilização do sistema "AI" para detectar o tipo de coisa que se está a fotografar, fazendo com que em 99% das situações, seja mesmo apenas uma questão de pegar no smartphone e tirar a foto sem qualquer preocupação adicional em seleccionar o modo ideal. O P20 Pro reconhece mais de uma dezena de situações diferentes, que vão dos close-ups aos retratos, das fotos de por do sol às fotos de comida, tratando de tudo automaticamente - com os resultados a serem visíveis no ecrã (por exemplo, nos closeup ele muda de lente). Ainda assim, continua a ser possível dizer que não queremos esse modo, e tratarmos nós do assunto, havendo também um modo Pro à disposição em que podemos controlar manualmente todos os parâmetros.>/>Nos modos principais temos o modo de abertura variável, nocturno (onde podemos ter exposições que vão até perto de 1 minuto), retrato, fotos (com sistema AI), vídeo, pro - e ainda um menu de opções extra onde encontramos o modo monocromático, panorâmico, digitalização de documentos, time lapse, pintura de luz, entre outros...>/>>/>>/>>/>>/>[Esta foto do céu nocturno foi com exposição de quase um minuto - a olho nú só se viam 2 ou 3 estrelas...]>/>>/>>/>>/>>/>Teremos mais alguns artigos dedicados exclusivamente à câmara do P20 Pro e onde também mostraremos o seu modo vídeo HD de 960fps. :)>Apreciação final>/>Numa era em que a maioria das melhorias nos smartphones é apenas "evolutiva", não é fácil ser-se surpreendido por algo que se faça destacar. Este P20 Pro começou por não me cativar particularmente em termos de design (embora, como se costuma dizer, "gostos não se discutam") e ainda estou à espera que a Huawei me explique porque motivo o bloco das três câmaras consiste num bloco de "2+1" em vez de ter as três juntas numa única protuberância.No entanto, logo que o ecrã AMOLED se acende e, particularmente, se começa a dar uso à câmara fotográfica... é difícil resistir. Se em quase todos os smartphones que já testei é normal ter que repetir algumas fotos para ficarem "bem", neste P20 Pro arrisco-me a dizer que, entre as muitas centenas de fotos que tirei, acho que não encontrei uma única que tivesse ficado "mal"!Embora se trate de um smartphone que custe 900 euros, parece-me que a Huawei conseguiu garantir a sua posição para todos aqueles que procuram a melhor câmara num smartphone e estão dispostos a pagar por isso. Alie-se a isso a fantástica autonomia que permite com facilidade dois dias de utilização intensiva (com alguma moderação facilmente se chega a 3 dias)... e temos a receita completa para este P20 Pro sair daqui com um super escaldante! :)>/>Huawei P20 Pro>/>EscaldantePrósQualidade da câmaraQualidade de construçãoDesempenhoAutonomiaContrasBotão frontal vai "contra" design full-screenSem carregamento wireless>Galeria de imagens>/>>/>>/>>/>>/>>/>>/>>/>>/>>/>>/>>/>>/>>/>>/>>/>>/>>/>>/>>/>Huawei P20 ProAberto até de MadrugadaEscaldante (5/5) >> >> >> Apps do Android »